quarta-feira, 5 de Setembro de 2012 10:45h Gazeta do Oeste

Funcionária ofendida e perseguida por colegas de trabalho será indenizada

Uma empresa de serviços técnicos industriais está condenada a indenizar uma funcionária que foi perseguida e assediada moralmente por colegas de trabalho em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A Justiça do Trabalho considerou a empresa culpada levando em conta que a organização não tomou atitudes para impedir os ataques à trabalhadora.

 

 

A mulher procurou a Justiça alegando que alguns colegas de serviço a chamavam por apelidos pejorativos e referindo-se a ela com expressões de baixo calão. Segundo a denúncia, os supervisores e encarregados não tomaram qualquer providência para evitar os ofensas. De acordo com testemunhas do processo, grupo de quatro colegas chegou a pichar o nome da empregada no banheiro masculino.

 

As ofensas eram diárias e um dos agressores, cuja perseguição era mais ostensiva, chegou a cuspir nos pés da empregada. A mulher pediu a condenação da empresa ao pagamento de indenização por danos morais e a rescisão indireta do contrato de trabalho.

 

 

Decisão

 

O juiz do trabalho substituto, Ordenísio César dos Santos, em atuação na 5ª Vara do Trabalho de Betim, constatou que ocorreu o grave assédio moral e deferiu a indenização de R$ 10 mil. Para o magistrado, não há dúvida que a reclamante teve a honra e a dignidade feridas pelo tratamento desrespeitoso adotado por colegas de trabalho. Além disso, a empresa não tomou as providências necessárias para fazer cessar as agressões. A empresa apresentou recurso, mas o Tribunal da 3ª Região de Minas Gerais manteve a decisão de primeira instância. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EM

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.