segunda-feira, 28 de Março de 2016 10:19h Agência Minas

Funed é referência na produção de soros e vacina contra meningite C

Fornecedora exclusiva da vacina para o Programa Nacional de Imunizações, Fundação se destaca, ainda, pela fabricação de oito tipos de soros

A Fundação Ezequiel Dias (Funed) é referência nacional na produção de soros antipeçonhentos, antitóxicos e antivirais e a única produtora da vacina contra a Meningite C no país. Com mais de 100 anos de história, a Funed fornece, hoje, uma média de 12 milhões de doses por ano da vacina e tem capacidade para fabricar aproximadamente 250 mil ampolas de soros anualmente.

Além da Funed, o Instituto Butantan de São Paulo, o Instituto Vital Brazil, do Rio de Janeiro e o Centro de Produção e Pesquisa de Imunobiológicos, do Paraná, são os laboratórios públicos oficiais no país produtores de soros.

 

 

 

Segundo o chefe da Divisão de Produção de Biológicos da fundação, Maurício Abreu, o corpo técnico e a estrutura da Funed são alguns dos fatores fundamentais para a tradição da Funed na produção das vacinas e dos soros, que são oito tipos: cinco antiofídicos (contra o veneno de cobra), um antiescorpiônico, um antitetânico e um antirrábico.

De extrema importância para o atendimento aos acidentes com animais peçonhentos, os soros são distribuídos gratuitamente pelo Ministério da Saúde, com utilização restrita ao ambiente hospitalar. Para a fabricação, a Funed mantém uma Fazenda Experimental em Betim, que abriga os animais que produzem o plasma, matéria-prima utilizada no processo de produção.

 

 

 

O chefe da unidade de toxicologia do Hospital João XXIII - referência em Minas Gerais no tratamento para picadas de animais peçonhentos -, Délio Campolina, explica que, quanto mais rápido o soro for administrado, menor o risco e o desenvolvimento de sintomas pelo paciente.  Ele destaca, ainda, o trabalho desenvolvido pela Funed. “O soro, juntamente com as demais medidas clínicas, é fundamental para o tratamento. Por isso, ter a Funed como produtora e fornecedora destes medicamentos é importantíssimo”, enfatiza.

O João XXIII atende uma média diária de cinco pessoas por dia picadas por escorpião em Belo Horizonte. No mês passado foram 186 atendimentos, e, em 2015, 1.685 pacientes receberam tratamento com soro antiescorpiônico no hospital.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais disponibiliza neste link a lista das unidades de saúde que fazem atendimento antipeçonhentos com soroterapia no estado.

 

 

 

Produção compartilhada

O serviço de produção de soros da Funed está cumprindo um cronograma, desde abril de 2015, que vai até junho deste ano, para atender uma produção de 221.300 ampolas de produção própria e gerar produtos intermediários para produção de mais 172.700 ampolas em produção compartilhada.

O total produzido representará o atendimento em 52% da demanda de soros estabelecida pelo Programa Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde, para o período. De junho de 2016 a julho de 2017, a Fundação atenderá em 254 mil ampolas somente de produção própria.

 

 

 

Transferência de tecnologia

A vacina contra a meningite C é um produto relevante para a saúde pública. Em 2009, a Funed firmou uma parceria com a empresa privada Novartis, com contrato de fornecimento de tecnologia e produtos referentes à vacina. Após a protocolização da proposta de incorporação da vacina na rotina de imunização universal pediátrica e controle de surtos do Ministério da Saúde/MS, a Funed se tornou fornecedor exclusivo ao Programa Nacional de Imunizações/MS após a introdução da vacina no calendário nacional de imunização, em 2010.

“O processo de transferência de tecnologia entre empresas públicas e privadas, que vem sendo promovido pelo governo, como no caso da Funed e Novartis, é um ponto relevante no contexto da autossuficiência imunológica no país”, explica o chefe da Divisão de Produção de Biológicos da Funed, Maurício Abreu.

Devido à complexidade nas diferentes etapas do processo produtivo, o plano de transferência de tecnologia da vacina contra a meningite C manteve-se estruturado de forma reversa em quatro fases. Agora, o processo está na terceira fase e a previsão é que todo o processo seja concluído até 2022.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.