quinta-feira, 19 de Maio de 2016 11:36h Agência Minas

Gasmig abastece Saideira do Comida di Buteco e divulga vantagens do gás natural

Bares participantes serão abastecidos com o combustível canalizado de rua e visitantes poderão experimentar as receitas produzidas com um energético mais limpo, seguro e moderno

A Gasmig vai levar o gás natural canalizado de rua para a finalíssima do maior concurso de cozinha de raiz do país, a Saideira do Comida di Buteco, que acontece no Mineirão, em Belo Horizonte, no próximo sábado (21/5). A novidade deste ano será a praticidade e a modernidade que os restaurantes participantes terão ao utilizar o gás natural canalizado para prepara seus saborosos pratos.

Para o diretor comercial da Gasmig, Sérgio da Luz Moreira, esta é uma grande oportunidade para mostrar à sociedade a aplicabilidade do gás natural canalizado em residências e comércios.

 

 

 

“O produto que distribuímos é utilizado nas grandes cidades do mundo, mas, aqui em Minas Gerais ainda é pouco conhecido e, para a maioria das pessoas, é um energético utilizado apenas em indústrias. Apesar de já termos clientes residenciais e comerciais em Belo Horizonte, levar o gás natural para abastecer um evento do porte da Saideira do Comida di Buteco contribui para esclarecer a população quanto aos benefícios gerados a partir do uso de um energético mais limpo, seguro e moderno”, afirma o diretor da companhia.

Ao todo, 500 botecos de todo o país estão participando do festival com tema livre para a criação do tira-gosto. A 17ª edição do Comida di Buteco traz como novidade, a eleição, pela primeira vez, do “Melhor Boteco com Brasil”, em junho.

 

 

 

O gerente de Comercialização do Gás Residencial e Comercial da Gasmig, Felipe Neves, comemora a oportunidade de levar o energético para a experimentação dos profissionais que preparam os alimentos e à população que prestigia o evento.

“Abastecer eventos como esse é uma forma de comprovar que o uso do gás natural é ideal para quem busca a comodidade e a praticidade tão valiosas, na atualidade. Mas, muito além disso, é a hora de confirmar a segurança da alternativa energética que oferecemos, que, por ser mais leve que o ar, dissipa rapidamente na atmosfera em caso de vazamentos”, destaca Neves.

 

 

 

Para uso em residências e comércios, o fornecimento do gás natural canalizado é contínuo. Portanto, o consumidor não tem que se preocupar em reabastecer o energético. Além disso, os estoques em botijões não serão mais necessários, porque o energético sai da rede canalizada diretamente da rua para seu fogão ou direcionado para o aquecimento de água em chuveiros, torneiras, piscinas e saunas, por exemplo.

Outra vantagem é que o espaço, antes utilizado para a estocagem do gás em vasilhames, pode ser reaproveitado nos condomínios para novas vagas de garagem, bicicletário, play ground e jardins. Já os comércios que optam pelo uso desta alternativa energética, podem utilizar a área para estoque de produtos e até ampliação dos ambientes.

 

 

 

Utilizar o gás natural canalizado em um evento do porte do Comida di Buteco é contribuir para a sustentabilidade da cidade, porque a sua queima é mais limpa e, portanto, a emissão de CO2 na atmosfera é menor. Esse caráter sustentável também é muito valorizado pelos amantes da cozinha: “A queima mais limpa contribui para a conservação de utensílios e equipamentos, não gera fuligem, então, não deixa as panelas pretas”, reforça o gerente Felipe Neves.

No evento a Gasmig também vai apresentar ao grande público outra novidade no uso do gás natural. Estará em exposição no estande da empresa uma caminhonete 4X4, movida a gás natural veicular e etanol. O combustível, antes usado apenas em carros menores, de passeio, chega aos utilitários.

 

 

 

“É fundamental mostrar os diferentes usos do gás natural à sociedade e é fantástico poder aproveitar a Saideira do Comida di Buteco para demonstrar a tecnologia dos kits GNV de 5ª geração em uma caminhonete 4x4. Em um período de recessão econômica como o que vivemos, apresentar alternativas que contribuam para a redução de custos é sempre uma boa ideia”, diz o coordenador de GNV da Gasmig, Welder Souza.

Segundo ele, a economia para o usuário do GNV já ultrapassa 55%.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.