sexta-feira, 31 de Maio de 2013 07:20h Agencia Minas

Gestores públicos mineiros poderão se qualificar na França

Acordo de Cooperação entre a Fundação João Pinheiro e a l’École Nationale d’Administration (ENA) possibilitará a troca de experiências em práticas da administração pública

A partir de agora, servidores públicos estaduais poderão se inscrever para estudos e missões técnicas na França, que serão realizados por meio da parceria entre a Escola de Governo da Fundação João Pinheiro e a l’École Nationale d’Administration (ENA), uma das mais prestigiosas escolas francesas, criada em 1945 para democratizar o acesso à alta função pública.

O governador Antonio Anastasia, a secretária de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, e a presidente da Fundação João Pinheiro, Marilena Chaves, assinaram, nesta quinta-feira (30/05), em Paris, um acordo de cooperação entre as duas instituições.

O principal objetivo do memorando de entendimentos é fomentar projetos conjuntos no campo do desenvolvimento da gestão pública, em especial em educação de servidores públicos, formação continuada, desenvolvimento de competências profissionais e pesquisa, que contribuam para o mútuo aprimoramento da função pública. Para o governador Antonio Anastasia, a ENA é uma grande inspiração para Minas Gerais, que se consolidou como referência em gestão pública no Brasil.

"É um grande prazer firmar essa parceria com a l’École Nationale d’Administration. Há uma grande identidade filosófica, cultural e de princípios entre a França e o Brasil, especialmente com Minas Gerais. Fazemos uma gestão pública inovadora e o capital humano é parte disso. É motivo de muito orgulho termos a Fundação João Pinheiro, muito bem avaliada, que prepara jovens para as mais altas funções da administração pública do Estado. A parceria com a ENA será muito importante para consolidarmos a meritocracia em nosso Estado e melhorar a qualificação dos nossos servidores públicos", ressaltou Anastasia, que participou, há 20 anos, da criação da Escola de Governo.

"Vamos trabalhar em uma parceria muito estreita e trocar experiências. Nossas entidades irão se aproximar mais e esse acordo permitirá que avancemos juntos na questão da gestão. Teremos muito prazer em acolher os mineiros em nossa escola e também em ir para Minas Gerais conhecer o modelo de gestão desse importante Estado", disse a diretora da ENA, Nathalie Loiseau.

Troca de experiências

A cooperação entre as duas instituições prevê a realização de missões técnicas integradas por professores, funcionários e agentes públicos para troca de experiências em administração pública e educação, formação continuada, desenvolvimento de competências profissionais e pesquisa nesta área, bem como realização conjunta de congressos, conferências, videoconferência e seminários.

Poderá ser desenvolvido intercâmbio de conhecimento em engenharia pedagógica e metodologia de ensino, e o estabelecimento de cursos de curta duração e customizados de acordo com demandas para funcionários e autoridades públicas, com emissão de certificados.

Também está previsto o acolhimento de agentes públicos do Governo de Minas e alunos da Escola de Governo da Fundação João Pinheiro (FJP), com alunos dos cursos de longa e curta duração na ENA (Paris e Estrasburgo), sob condição de que cumpram as exigências de testes de seleção de candidatos estrangeiros.

O acordo prevê a constituição de grupos de trabalho para pesquisas, visando intercâmbio de informações e materiais pedagógicos e produção acadêmica e de conhecimento sobre administração pública, entre outras.

A secretária de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena destacou a importância do acordo. "O governo francês faz um alto investimento na capacitação dos seus servidores. Para se ocupar um cargo de alta administração do governo obrigatoriamente tem que se passar pela ENA. Então, queremos aproveitar esse knowhow, junto à experiência da nossa Escola de Governo, que também interessa muito à ENA, já que é considerada a melhor do Brasil, para podermos, simultaneamente, trocar experiências e agregar metodologias, a partir da prática deste acordo", explicou.

"A ENA, foi a inspiração para a criação da Escola de Governo. Então, agora, estamos retomando as conversações para apreender novas metodologias de ensino e treinar nossos professores e, eventualmente, alunos da especialização", completou a presidente da Fundação João Pinheiro, Marilena Chaves.

Ensino de qualidade

Reconhecido pelo Ministério da Educação, em 1994, o curso de graduação em Administração Pública da Escola de Governo conquistou o primeiro lugar nacional na área de Administração no conceito Enade 2006 e tem cinco estrelas no Guia do Estudante Abril.

Confirmando a excelência do ensino oferecido, em 2011, a Escola foi considerada a melhor faculdade de Minas Gerais no Índice Geral de Cursos (IGC), divulgado pelo Ministério da Educação. Entre as 27 instituições de ensino superior do país que alcançaram a nota máxima no índice, ocupa a 9ª colocação. O IGC avaliou 2.177 instituições de ensino, sendo 229 públicas e 1.947 privadas, entre universidades, centros universitários e faculdades.

A Escola de Governo tem como objetivo contribuir para a melhoria e modernização da gestão pública por meio da formação e capacitação de quadros técnicos, desenvolvimento de pesquisas e assessoria a órgãos e entidades governamentais na formulação, implementação, monitoramento e avaliação de políticas públicas.

A Escola Nacional de Administração (ENA) está encarregada de assegurar a seleção e formação inicial e contínua dos altos cargos franceses e internacionais. É um dos símbolos da meritocracia republicana, oferecendo a seus antigos alunos acesso aos cargos de direção mais importantes do Estado. A instituição acolhe anualmente, em Estrasburgo, 80 a 100 alunos por curso, cerca de 60 de mestrado e mestrado especializado, além de uma centena de alunos estrangeiros. A todos são oferecidas sessões curtas de formação contínua em Paris.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.