quinta-feira, 21 de Julho de 2011 11:14h Flávia Brandão

Governador é recebido com protesto de professores

Anastasia esteve na primeira reunião intinerante da AMM em S.Gonçalo do Pará, sobre os protestos disse que fazem parte do jogo democrático

O governador de Minas Gerais, Antônio Anastasia (PSDB), foi recebido ontem (20), em São Gonçalo do Pará, por uma comitiva de cerca de 100 prefeitos da região Centro-Oeste e outras cidades do Estado para participar da primeira reunião itinerante da Associação Mineira de Municípios (AMM). O chefe de Estado recebeu das mãos do presidente da AMM, Ângelo Roncalli (PR), a “Agenda Positiva dos Municípios”, pesquisa que aponta as principais dificuldades dos municípios.  O governador se mostrou receptivo as sugestões destacando as áreas de saúde e segurança pública, mas pontuou as dificuldades para atender todos os pleitos. Na ocasião, o governador afirmou que no dia 4 de agosto será lançado o Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado com as metas de seu governo e metas do Estado até 2030.

 

Três grandes pautas foram apresentadas pelo prefeito Ângelo Roncalli ao governador referentes a região Centro Oeste, sendo elas:  saúde, visando o aumento de leitos;   infraestrutura viária abordando o Projeto Caminho de Minas,  privilegiando o trecho que liga a  MG - 050 a 262, passando pelo município de Igaratinga;  e aos  atrativos  industriais.

 

Anastasia destacou que saúde é a grande demanda não só de municípios de Minas Gerais, mas de todo o Brasil e salientou a necessidade da aprovação da Emenda 29. Citou as intervenções, que vem sendo feitas na região como a construção do Hospital Público, em Divinópolis, as unidades básicas de saúde e afirmou que os investimentos continuaram de uma forma progressiva, mas a demanda sempre irá existir.  “Vamos continuar de maneira progressiva colocando mais recursos na saúde, mas vamos lembrar que a saúde é uma demanda infinita, vamos melhorar e a demanda vai continuar havendo”, declarou.

 

A respeito de incentivos industriais para desenvolvimento da região Centro Oeste, Anastasia afirmou que a região é uma das que mais cresceu nos últimos anos devido sua localização, infraestrutura, capital humano, etc. Salientou que quer ser marcado pelo “governo da geração de empregos” e está trabalhando nesse sentido. Afirmou que os empresários percebem os avanços nos indicadores de saúde, educação, segurança publica, etc., e que hoje Minas Gerais  é um estado promissor para se investir.

 

Finalizando a pauta de reivindicações, Anastasia abordou a questão da infraestrutura viária no que se refere o projeto “Caminho de Minas”, afirmou que os projetos estão em andamento e que vai licitar uma parte ainda esse ano, para que as obras tenham início em 2012. Anastasia destacou que 235 trechos é impossível cumprir nos próximos anos de governo, mas se comprometeu a começar os trabalhos e alcançar cerca de 120 trechos. “Vamos ouvir as principais reivindicações dos parlamentares, senhores prefeitos, para identificar as maiores prioridades aqui já recebemos o pleito que liga a 262 a MG-050 e que beneficia a região passando pelo município de Igaratinga”, disse.

 

O chefe de estado disse que fará um esforço para estar presente nas próximas reuniões regionais da AMM - cerca de 10 -  e se disse que uma característica de seu governo é ter o caráter municipalista, já que os prefeitos são os que vivenciam as principais demandas das população.

 

Além de vários prefeitos, inclusive o de Divinópolis, Vladimir Azevedo (PSDB), a reunião foi prestigiada pelo senador Zezé Perella (PDT) -   essa foi a primeira participação do senador em um evento público - pelos deputados federais Jaime Martins (PR), Domingos Sávio (PSDB), pelo deputado estadual Fabiano Tolentino(PRTB) e outros parlamentares.

 

Governador recebe vaias dos professores

 

Durante a visita a São Gonçalo do Pará, Anastasia teve que dividir as homenagens dos prefeitos com as vaias dos professores e dirigentes do Sind-Ute, que se concentraram na frente do encontro. O governador afirmou que manifestações são “típicas do dia a dia da democracia”e não se constrange e destacou que Minas Gerais cumpre o piso através do subsídio e que um concurso já foi aberto para professores  “no valor de R$1320,00 para 24 horas, muito acima do que prevê a Lei Federal”. Questionado se iria atender o pedido de aumento dos professores  o governador reafirmou que já houve aumento por meio do subsídio,
“em que Minas Gerais pagou R$ 1 bilhão e 400 milhões  a mais na folha da educação”.

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.