terça-feira, 24 de Maio de 2016 11:21h

Governador Fernando Pimentel participa de inauguração de expansão da LafargeHolcim em Barroso

Empresa triplicou a capacidade de produção e teve investimentos de R$ 2 bilhões, beneficiando a região do Território Vertentes

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, participou, nesta terça-feira (24/5), em Barroso, Território Vertentes, da inauguração da expansão da unidade da LafargeHolcim, tornando-a a mais moderna fábrica de cimento do país. A ampliação, que contou com cerca de R$ 2 bilhões em investimentos, triplicou a capacidade de produção da empresa, passando de 1,2 milhão de toneladas por ano para 3,6 milhões de toneladas.

 

 


Fernando Pimentel destacou o compromisso e o trabalho do Governo do Estado com a busca de investidores para Minas Gerais e, consequentemente, com o crescimento do país. “Temos o compromisso com aqueles que trazem o capital, os recursos econômicos, o conhecimento tecnológico e os recursos humanos para investir em nosso Estado. A LafargeHolcim está triplicando a capacidade de produção nessa empresa com investimento vultoso, que teve o apoio do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), das nossas autoridades na área do Meio Ambiente, assim como teve apoio do município, e terá sempre o nosso apoio para trazer empregos e riqueza e gerar prosperidade na região”, afirmou.

 

 

 


Pimentel ressaltou, ainda, a longa parceria com a empresa no Estado e a sua disposição e coragem para apostar no Brasil em um momento complicado da economia do país. “Nós queremos um ambiente econômico sustentável, compromissado com o desenvolvimento, mas também com respeito às regras do Estado e, acima de tudo, com o respeito ao meio ambiente. Isso a LafargeHolcim já deu mostras que tem o mesmo compromisso. O outro compromisso que comemoramos aqui hoje é muito forte, muito profundo, com o nosso futuro. Quem investe numa fábrica de cimento, está fazendo uma aposta muito vigorosa no futuro do Brasil. Porque quem fabrica cimento fabrica o futuro. Cimento é o principal insumo do crescimento de um país. E quem está triplicando a aposta no futuro do nosso país é a LafargeHolcim. E nós somos, todos nós, gratos e parceiros nessa aposta no futuro”, finalizou o governador.

 

 

 


O CEO Global da LafargeHolcim, Eric Olsen, valorizou a importância da “continuação da história” da empresa em Barroso, afirmando que o principal objetivo do grupo é criar um “ambiente seguro, saudável e sustentável”, ajudando o país nesse momento de dificuldades. “A expansão representará um ativo para a nossa rede e para navegar durante esse momento. Temos um compromisso de longo prazo com Minas Gerais. Acreditamos na capacidade do povo brasileiro e queremos participar da construção do Brasil e de Minas Gerais”, disse.
A prefeita de Barroso, Eika Oka de Melo, ressaltou a missão de transformar os desafios em oportunidade com a conclusão da expansão. “Vejo um belo e promissor futuro, porém não temos dúvida que teremos muitos desafios pela frente, principalmente na área de transportes, minimização dos impactos ambientais e qualificação de fornecedores locais para a manutenção do emprego, trabalho e renda na cidade”, afirmou.

 

 



Empresa
Criada pela fusão global entre Lafarge e Holcim, a LafargeHolcim está presente em 90 países com foco em cimento, agregados e concreto, sendo líder mundial da indústria de materiais de construção. No Brasil, a empresa atua desde 1951.
Em Minas Gerais, a LafargeHolcim opera três fábricas de cimento, 21 unidades de produção de concreto, um terminal de cimento e um centro de distribuição de cimento, além de um escritório de vendas e uma pequena central hidrelétrica.
Também participaram do evento o secretário de Estado de Fazenda, José Afonso Bicalho, o assessor de Relações Internacionais do Governo de Minas Gerais, Rodrigo Perpétuo, e o presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), Marco Antônio Castello Branco.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.