sexta-feira, 31 de Maio de 2013 07:22h Agencia Minas

Governo de Minas firma parceria com região francesa para desenvolvimento ferroviário

Intenção é aproveitar expertise e boas práticas francesas para fomentar projetos de desenvolvimento ferroviário para transporte de passageiros

Um transporte de qualidade com maior rapidez e menor custo é o sonho de todo cidadão, principalmente daqueles que moram em grandes centros urbanos. Se os desafios são grandes, o trabalho para o desenvolvimento dos meios de transportes não pode ser menor. E o Governo de Minas vem buscando formas inovadoras e que já dão certo em outros lugares do mundo para desenvolver esse setor.

Durante encontro com o governador da região de Nord-Pas de Calais, na França, Daniel Percheron, nessa segunda-feira (27), o governador Antonio Anastasia, assinou memorando de entendimento que vai possibilitar o planejamento, concepção e implementação de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento de sistemas urbanos de transportes ferroviários. Nesse memorando também está incluída a Agência Francesa de Desenvolvimento.

Pelo memorando, Minas deverá receber nos próximos meses técnicos franceses que ajudarão na consolidação de decisões a serem tomadas na temática da mobilidade urbana no Estado. Técnicos da Agência Metropolitana, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sede) e Secretaria de Transportes e Obras Públicas (Setop) estiveram em Lille, em março deste ano, para troca de experiências sobre mobilidade urbana com empresas públicas locais.

As visitas e trocas de experiências poderão servir de referencial para o plano de expansão do metrô da capital mineira e do projeto de utilização de trilhos para transporte de passageiros na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O governador da região francesa ainda acenou com a possibilidade de nova parceria para a criação de um centro de pesquisas ferroviárias em Minas Gerais.

“O Nord-Pas de Calais é uma região reconhecida como o maior entroncamento ferroviário da França. Já tivemos em Minas uma grande tradição ferroviária e estamos tentando voltar com essa tradição agora, especialmente com nossa proposta de PPP (Parceria Público-Privada) para o transporte de passageiros na Região Metropolitana. Por isso, vemos com muito bons olhos essa parceria, essa possibilidade de apoio técnico do governo francês para termos, de fato, um transporte ferroviário que seja mais barato e de melhor qualidade para o usuário mineiro e belo-horizontino”, afirmou o governador Antonio Anastasia após o encontro.

Por causa da gestão adotada pelo Governo de Minas, referência para o mundo, a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) já demonstrou seu interesse em financiar projetos como o metrô e a viabilização de transporte sobre trilhos que ainda estão em estudos pelo Governo do Estado. “São notícias excelentes. Vamos nomear pessoas para realizar as propostas, colocar no papel, ver o custo e apresentar essas propostas que são muito importantes para o futuro de Minas Gerais, porque coincidem com a nossa proposta de modernizar pelo conhecimento e pela inteligência o Estado de Minas Gerais”, afirmou Anastasia.

Confiança em Minas

O memorando assinado é uma parceria tripartite entre o Governo de Minas, a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) e a Região de Nord-Pas de Calais. Para o representante da Agência Francesa, Philippe Orliange, que é diretor do Departamento Geográfico da AFD e esteve presente no encontro em Lille, os interesses de Minas Gerais coincidem com os objetivos de desenvolvimento socioeconômico da instituição financeira.

“É uma honra ser parceira de Minas Gerais. Nossa relação progrediu e, hoje, nos mostra novas perspectivas. Existe, entre nós, um interesse comum, que diz respeito ao desenvolvimento socioeconômico. Minas Gerais é nossa ancoragem. Para a AFD é muito importante apropriar-se em estados que têm políticas públicas avançadas, que tem uma gestão segura. Para nós é um grande prazer fazer mais acordos com Minas”, destacou Philippe Orliange, diretor da AFD.

O memorando de entendimento com a AFD e a Região Nord-Pas de Calais define cinco eixos de cooperação e detalha as atividades a serem realizadas, nas quais, a mobilidade urbana, já citada, a elaboração de um plano de energia/clima para o território, a reconversão das áreas poluídas e degradadas (esses três com a participação de Nord-Pas de Calais), além da gestão dos resíduos sólidos e o desenvolvimento de polo tecnológico e aeronáutico.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.