segunda-feira, 11 de Janeiro de 2016 09:33h Atualizado em 11 de Janeiro de 2016 às 09:36h.

Governo de Minas Gerais e Codemig lançam programa para implantar novas salas de cinema no Estado

Alinhada com as diretrizes estratégicas do Governo do Estado de Minas Gerais no fomento à indústria criativa

Alinhada com as diretrizes estratégicas do Governo do Estado de Minas Gerais no fomento à indústria criativa, a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) está lançando uma nova iniciativa que dinamizará o setor cinematográfico e ampliará o acesso da população mineira à cultura audiovisual.

Por meio do Cineminas – Programa Codemig de Apoio ao Cinema –, a Codemig tem o objetivo de implantar complexos de exibição de filmes, criando e reformando salas (telas) de cinema no Estado. O lançamento do programa ocorrerá na terça-feira (12/1), às 11h, em Ponte Nova, na Zona da Mata mineira, com a assinatura de Protocolo de Intenções entre a Prefeitura do município e a Codemig, visando à reforma e à restauração do suntuoso Hotel Glória para a posterior implantação de cinema no local, inaugurado em 1925.

Com o Cineminas, a Codemig atuará como fomentadora da indústria cinematográfica mineira, desenvolvendo políticas, parcerias e ações de incentivo à produção, à exibição e à comercialização de conteúdos. “A Empresa reconhece o potencial econômico, social e cultural do acesso ao cinema para a população de Minas Gerais”, enfatiza a diretora de Fomento à Indústria Criativa da Codemig, Fernanda Medeiros Azevedo Machado.

De acordo com ela, a construção de novas salas de cinema nas cidades do interior busca ampliar o acesso da população à cultura, ao mesmo tempo em que gera impactos econômicos e sociais em todo o Estado pela criação de demanda para entidades privadas e públicas de todo setor audiovisual. “Produtores de conteúdo audiovisual, exibidoras, distribuidoras e fornecedores em geral terão oportunidades de investimento em um mercado que está em plena expansão”, assinala.

Os complexos também contarão com espaços de bilheteria e bomboniere. Cada sala terá capacidade para entre 150 e 200 pessoas — uma sala corresponde a uma tela de exibição com 150 a 200 poltronas.

Para a eficaz implantação do programa, estão sendo mapeados os locais mais apropriados para receber as novas salas de cinema, almejando o melhor resultado do projeto e racionalizando a aplicação dos recursos públicos. Com a finalidade de identificar os municípios que devem receber as salas, traçar o perfil do público-alvo e elaborar um plano de viabilidade econômico-financeira que garanta a sustentabilidade da iniciativa, a Codemig realizou processo licitatório para contratação de empresa especializada em inteligência de mercado, capaz de fornecer informações e técnicas para auxiliar no processo.

Vencedora da licitação, a empresa Ernst & Young desenvolveu o estudo mercadológico a partir de municípios pré-selecionados, os quais têm população acima de 28 mil habitantes e não possuem sala de cinema. Coube à empresa contratada identificar a demanda potencial de espectadores, bem como identificar alternativas de locais para construção ou revitalização dos complexos de exibição.

Outra novidade é a parceria inédita entre a Codemig e o Serviço Social do Comércio (Sesc), o qual implantará no município um centro cultural que constituirá um marco para a região.

 

 

Setor audiovisual e Indústria Criativa

O setor audiovisual tem se destacado como um dos mais dinâmicos da economia brasileira ao apresentar significativas taxas de crescimento nos últimos anos. Dentro do setor, a indústria cinematográfica desponta como uma área de expressivo potencial, devido ao grande público que frequenta os cinemas nas grandes cidades brasileiras. Em cidades menores, o cinema ainda pode ser promovido para atrair maior interesse do público em obras locais, nacionais e internacionais.

A Indústria Criativa constitui a cadeia produtiva composta pelos ciclos de criação, produção e distribuição de bens e serviços que usam criatividade e capital intelectual como insumos primários. As quatro grandes áreas criativas podem ser classificadas em segmentos como: Publicidade, Arquitetura, Design e Moda (na área criativa do Consumo); Expressões Culturais, Música, Artes Cênicas e Patrimônio e Artes (na categoria Cultura); Editorial e Audiovisual (Mídias); e Pesquisa & Desenvolvimento, Tecnologias da Informação e da Comunicação e Biotecnologia (Tecnologia).

Em Minas Gerais, os empregos gerados na Economia Criativa dividem-se em segmentos como pesquisa de desenvolvimento (21%), arquitetura (15%), publicidade (11%), TIC (11%), design (10%), moda (8%), audiovisual (6%), editorial (5%), biotecnologia (4%). O segmento audiovisual mineiro, por exemplo, inclui produção, editorial, música e fornecedores técnicos, ao passo que as chamadas expressões culturais abrangem artesanato, gastronomia, artes cênicas, música, produção independente e representação comercial.

Atento à importância da economia criativa, o Governo de Minas Gerais, por meio da Codemig, lançou em agosto de 2015 o "Minas de Todas as Artes – Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa", ação inédita capaz de fomentar novos negócios que gerem empregos e riquezas para o Estado. Até o fim de 2018, serão investidos mais de R$ 20 milhões em editais de fomento e fortalecimento, com iniciativas de valorização de variados segmentos, como Gastronomia, Audiovisual, Design, Moda, Música e Novas Mídias. O Cineminas integra as ações desse programa.

Uma das primeiras ações do Minas de Todas as Artes foi o lançamento do edital de fomento à produção audiovisual, entre Codemig e Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais. O Edital de Seleção de Propostas de Desenvolvimento de Projetos Audiovisuais de Longa-Metragem para Cinema e Séries para Televisão esteve aberto entre os dias 26 de agosto e 13 de novembro. Ao todo, a ação recebeu 137 projetos e selecionou 18 propostas: cinco de longa-metragem ficção, dois de longa-metragem animação, com prêmio de R$ 150 mil para cada; três de longa-metragem documentário, com investimento de R$ 75 mil cada; cinco projetos de obra seriada de ficção e dois de obra seriada de animação, recebendo R$ 150 mil cada; e uma obra seriada documentário, com benefício de R$ 150 mil. O investimento do Governo de Minas Gerais, por meio da Codemig, nesta iniciativa é da ordem de R$ 2.475.000,00.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.