quinta-feira, 9 de Junho de 2016 16:46h Agência Minas

Governo de Minas Gerais prepara Plano de Enfrentamento da Pobreza Rural

Proposta se fundamenta em pilares como acesso a serviços públicos, benefícios e transferência de renda, inclusão produtiva e infraestrutura

Conjunto de programas, projetos e ações do Governo de Minas Gerais, desenvolvido em parceria com municípios e entidades da sociedade civil, o Plano Estadual de Enfrentamento da Pobreza Rural, que será lançado no próximo dia 28 de junho, foi discutido nessa quarta-feira (8/5), por representantes de várias secretarias de Estado.

Apresentada pela Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), a proposta foi debatida com as secretarias e os órgãos do estado que vão trabalhar de forma integrada na sua execução.

 

 

 

A secretária da Sedese, Rosilene Rocha, lembra que a pobreza rural foi um dos problemas considerados graves durante a elaboração de um diagnóstico no período da transição de governo. “As estatísticas mostraram que 50% da pobreza extrema em Minas Gerais está no campo. Na construção deste plano discutimos com todos os órgãos que estão aqui representados e tivemos rodadas muito produtivas com as secretarias. Avançamos bastante em várias áreas”, ressalta.

A secretária destaca ainda que o plano é uma estratégia intersetorial e que o problema deve ser enfrentado em conjunto. “Vamos encarar esse desafio pensando nas pessoas mais pobres, que se encontram em situação mais difícil em nosso estado”, frisa.

 

 

 

 

Prioridades

De acordo com o secretário de Estado de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, o plano reflete o modo de como o Governo de Minas Gerais tem trabalhado, “priorizando o enfrentamento dos grandes problemas a partir das questões reais e concretas da vida dos mineiros e das mineiras”, pondera.

O secretário avalia que o Plano Estadual de Enfrentamento da Pobreza Rural traz uma realidade concreta de Minas Gerais, que, segundo ele, é fruto de desigualdades na concentração de riqueza. “Estamos invertendo um pouco essa lógica, o que é um foco muito importante para nós, o reconhecimento da pobreza no campo e as várias formas de seu enfrentamento”, aponta.

 

 

 

Sobre a execução das ações, Helvécio Magalhães pediu o empenho de todas as áreas do governo envolvidas no tema, para que o plano seja desenvolvido de forma bem articulada e atenta à questão territorial.

“Uma orientação do governador é que toda iniciativa deve ser ligada ao olhar e à escuta territorial. Porque também a pobreza é diversa nos territórios. É o que estamos fazendo em todas as inciativas do Governo”, frisa o secretário, fazendo referência aos Fóruns Regionais de Governo.

 

 

 

Acesso

A articulação entre os diferentes setores também foi defendida pela secretária de Estado de Educação, Macaé Evaristo, que reafirma o compromisso de fortalecer as escolas rurais. “Um desafio que o plano nos coloca é garantir que as pessoas que estão no campo tenham acesso às políticas públicas”, ressalta.

Outro órgão parceiro do Plano é o Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas). A presidente da instituição, Carolina Oliveira Pimentel, apresentou exemplos sobre os trabalhos realizados em conjunto com outros órgãos e citou a parceria recente com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e com a Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig), que possibilitou a instalação de 200 cisternas, nos municípios de Arinos e Formoso. “Dessa vez, o Servas saiu para visitar um município distante, realizar um projeto piloto na área rural, com assentamentos rurais. Vamos trabalhar de forma integrada com as ações do estado”, reforça a presidente.

 

 

 

Após as considerações e o compromisso firmado com as propostas de enfrentamento à pobreza rural no estado, a assessora Estratégica de Programas Especiais da Sedese, Aidê Cançado Almeida, apresentou a estrutura do plano, que prevê a atuação em três eixos: Acesso a serviços públicos, Benefícios e transferência de renda; Inclusão produtiva e Infraestrutura. Cada eixo de atuação integra um conjunto de ações envolvendo diversos setores do governo estadual.

A reunião contou ainda com representantes das secretarias de Estado de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Sedinor), Saúde (SES), Desenvolvimento Agrário (Seda), Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater), Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) e Fundação João Pinheiro (FJP).

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.