sexta-feira, 6 de Novembro de 2015 13:00h Agência Minas

Governo de Minas Gerais une esforços para ajudar população de Bento Rodrigues e região

Governador Fernando Pimentel vistoria trabalhos na área inundada pelo rompimento de barragens em Mariana e garante que Estado está mobilizado para auxiliar moradores

O Governo de Minas Gerais está mobilizado para prestar o apoio necessário à população atingida pelo rompimento de duas barragens de uma mineradora em Bento Rodrigues, distrito de Mariana, região Central do Estado. A tragédia ocorreu na tarde de quinta-feira (5/11). O governador Fernando Pimentel visitou o local nesta sexta-feira (6/11) e garantiu que todos os esforços estão sendo realizados para ajudar os moradores da região. “Neste primeiro momento, nossa prioridade é atender os desabrigados e localizar as pessoas desaparecidas. O governo está totalmente mobilizado para isto. Tudo que pode ser feito está sendo feito, em parceria com o governo federal”, garantiu. Vários órgãos do Estado, como Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Civil, Defesa Civil, Servas, além de várias secretarias, como Saúde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania, e Trabalho e Desenvolvimento Social, estão com equipes no local.

“Eu estive pessoalmente nos distritos de Bento Rodrigues e Paracatu de Baixo. Temos o apoio da Defesa Civil nacional, do Ministério da Integração. O Ministério Público Estadual também está acompanhando tudo. A Polícia Civil já abriu inquérito para identificar as causas da tragédia, mas é cedo para falar sobre isto. Nossa preocupação agora é atender aos desabrigados, localizar os desaparecidos, auxiliar as vítimas, atender às famílias”, enfatizou.

Pimentel fez sobrevoo de helicóptero na região e esteve no ginásio onde estão os desabrigados pelo acidente, juntamente com o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, e o secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, Adriano Pereira. Na ocasião, os representantes da União confirmaram o apoio irrestrito do Governo Federal para a assistência às famílias desabrigadas e buscas na área. A articulação das ações está a cargo da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec).

Ações

Desde o fim de tarde de quinta-feira e durante toda a sexta, equipes do governo estão trabalhando na região. Os trabalhos prosseguirão durante todo o fim de semana e deverão avançar pelos próximos dias. Quatro helicópteros estão no local, que está com acesso comprometido em função dos estragos causados. Grupamentos do Batalhão de Emergências Ambientais e Respostas a Desastres (Bemad) trabalham intensamente nas buscas, com acompanhamento do chefe do Gabinete Militar, coronel Helbert Figueiró. As causas e responsabilidades pelo ocorrido também estão sendo apuradas.

Órgãos da administração direta e indireta do Estado estão com atuação intensiva para assistência às famílias e vítimas do acidente. Confira, a seguir, as principais ações do Governo do Estado em curso na região:


Saúde

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) enviou equipes a Mariana para ajudar no atendimento às vítimas. A preocupação da equipe é a de que, mesmo no período de investigação sobre intoxicação, já seja feito o protocolo clínico. As equipes de salvamento e de Urgência e Emergência da SES-MG prestam orientações no local. Também há apoio para o gerenciamento da crise e instrução das equipes de salvamento sobre o protocolo de intoxicação.


Segurança

No momento os esforços estão concentrados no atendimento às vítimas. Os Bombeiros estão com 99 integrantes na região e uma aeronave disponibilizada. Já a Polícia Militar tem efetivo de 34 soldados no local e também disponibilizou outra aeronave. As equipes trabalham em buscas aéreas e terrestres, com o objetivo de fazer a varredura no entorno do povoado e acompanhar o leito por onde escoa a água da barragem. As equipes estão em permanente readequação para as buscas no local.

Uma equipe multidisciplinar da Polícia Civil de Minas Gerais, formada por médicos legistas e peritos criminais, já está de prontidão para fazer o trabalho de identificação de vítimas do rompimento da barragem em Bento Rodrigues. Um helicóptero do Núcleo de Apoio Aéreo da PCMG foi disponibilizado para o resgate de sobreviventes e equipes de policiais civis da capital foram deslocados para o local. Delegados, investigadores e escrivães das delegacias da região, entre outros profissionais, também estão mobilizados no apoio à comunidade.

A Defesa Civil Estadual, além de destinar oito integrantes de seu efetivo na região, entregou para a prefeitura de Mariana kits de higiene pessoal, cestas básicas, sacos de roupas, kits cobertores e colchões.


Meio Ambiente

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) está com uma equipe no local do acidente para verificar a ocorrência e tomar as providências necessárias. Dois comitês para avaliar as causas do acidente foram instaurados, sendo um convocado pelo governador Fernando Pimentel e outro pela Semad. As consequências para o meio ambiente serão identificadas assim que a Defesa Civil liberar o local para averiguações.

A respeito da contaminação dos rios, por exemplo, o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) acionou equipes do Senai/Cetec para a realização, em caráter de emergência, de coletas diárias de amostras de água e sedimentos nos corpos de água para o acompanhamento das consequências do acidente. Pontos de coleta estão sendo definidos e também os parâmetros a serem considerados para analisar as amostras de água e sedimentos.


Energia e Abastecimento

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) está ativa para normalizar o fornecimento de energia nos distritos de Mariana. O rompimento da barragem da mineradora destruiu a rede de distribuição da empresa, inclusive com muitos postes arrastados. Devido à gravidade do acidente, na noite de quinta-feira (5/11), para garantir a segurança da população, a Companhia desligou a rede elétrica a partir do distrito de Monsenhor Horta e, desde então, cerca de mil clientes estão sem o fornecimento de luz.

Nesta sexta-feira (6/11), a Cemig iniciou os trabalhos de verificação dos danos e está tentando junto à prefeitura de Mariana apoio de máquinas no entorno da ponte no distrito de Paracatu de Baixo, que foi arrastada pela lama. A ponte seria usada para que a empresa levar postes e equipamentos necessários para a reconstrução da rede de distribuição da Cemig que atende à região e o restabelecimento da energia dos clientes.

Com a forte demanda local por água potável, a Companhia de Abastecimento de Minas Gerais (Copasa) se prontificou em enviar copos e caminhões-pipa para Mariana. Na quinta-feira, foram 5.600 copos de água (80 caixas) e três caminhões-pipa disponibilizados (cada um com capacidade de 10 mil litros). Nesta sexta-feira, mais 45 mil copos foram enviados, num total de 650 caixas.


Social

O Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) atua junto à força tarefa determinada pelo governador Fernando Pimentel e também com o Ministério Público para prestar assistência às famílias atingidas. O Servas está com equipe de prontidão para recebimento de doações (água, artigos de higiene pessoal e alimentos), de segunda a segunda, no horário das 9h às 19h, em sua sede, localizada na Avenida Cristóvão Colombo, 683, no bairro Funcionários, em Belo Horizonte. Destaque, ainda, para o cadastro de voluntários, que serão aproveitados conforme as demandas sinalizadas pela Defesa Civil. Interessados em participar e apoiar as ações podem entrar em contato pelo (31) 3349-2400.

A Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (Sedpac) montou um mutirão para a reposição da documentação perdida. Especificamente, o mutirão diz respeito a ações de registro civil, como emissão de cédula de identidade, entre outros serviços. A Secretaria também está integrada a uma força-tarefa para assegurar os direitos das crianças, adolescentes, pessoas com deficiência e idosos durante a resposta humanitária ao desastre.

Já a Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese) enviou duas equipes de referência para Mariana e Barra Longa. Elas vão contribuir com orientações para a organização dos alojamentos dos abrigados e, também, prestar assessoria técnica para que o município utilize recursos dos governos federal e estadual que podem ser liberados em casos de desastres. A Sedese dará todos os esclarecimentos necessários para a utilização dos recursos, como, por exemplo, o saldo do Piso Mineiro de Assistência Social do município de Mariana.

 

Créditos: Veronica Manevy/Imprensa MG

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.