sábado, 1 de Novembro de 2014 06:44h

Governo de Minas lança Novembro Azul em seminário de Urologia na capital

Campanha tem como objetivo alertar a população masculina com mais de 50 anos sobre o autocuidado e o câncer de próstata

Novembro será dedicado à saúde do homem. Nesta quinta-feira (30/10), às 16h30, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) lança a campanha Novembro Azul, durante o XVII Congresso Mineiro de Urologia, no Minascentro, em Belo Horizonte. A exemplo do Outubro Rosa, o Novembro Azul tem o objetivo de chamar a atenção dos homens com mais de 45 anos sobre o autocuidado, e em especial, sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata.

De acordo com o Ministério da Saúde, os homens têm mais doenças do coração, câncer, diabetes, colesterol e pressão arterial se comparado ao público feminino. O câncer de próstata é o tipo de neoplasia de maior incidência no sexo masculino, com alta prevalência em homens negros e com histórico da doença na família, e apresenta alta taxa de mortalidade. Um dos desafios é fazer o diagnóstico precoce, já que 10% dos pacientes que chegam ao serviço especializado já estão em fase avançada da doença.

Durante a cerimônia de lançamento da campanha, o secretário de Estado de Saúde, José Geraldo de Oliveira Prado, vai assinar uma resolução que cria a Comissão para elaboração do Programa Estadual de Prevenção e Controle do Câncer de Próstata em Minas Gerais e da implantação e implementação da Política Estadual de Atenção Integral à Saúde do Homem.

Também será firmada uma parceria entre a SES e instituições da sociedade civil para fortalecer as ações do Novembro Azul, que também terá padrinhos importantes, como o jornalista Eduardo Costa, que vão contribuir para a divulgação da campanha.

Ações da Campanha Novembro Azul

A Secretaria de Estado de Saúde está preparando uma série de ações de mobilização e conscientização contra o câncer de próstata e de outras doenças que acometem os homens. O símbolo da campanha será um bigode azul, a exemplo do laço rosa que marca a campanha contra o câncer de mama para as mulheres.

Serão promovidas palestras sobre os cuidados com a saúde, além do alerta para o câncer de próstata, em fábricas e empresas com predominância masculina no quadro de funcionários. E também um “café solidário” onde os homens serão convidados a tomar um café enquanto recebem orientações sobre os cuidados com a saúde.

Para lembrar aos homens sobre o autocuidado, vários monumentos receberão luzes azuis. Alguns deles em lugares turísticos da capital, como o Obelisco da Praça Sete e a Igrejinha da Pampulha, e também estátuas de personalidades masculinas espalhadas pela cidade como a dos poetas Carlos Drummond de Andrade e Fernando Sabino.

Câncer de Próstata em Minas

O câncer de próstata é o tipo de neoplasia que mais mata os homens em Minas. Das 10.841 mortes por neoplasias ocorridas no sexo masculino, em 2012 no estado, 1.365 (12,6%) foram por câncer da próstata. Esse tipo de câncer possui o valor mais elevado da taxa bruta de mortalidade por câncer em homens – 13,97 óbitos por 100 mil homens da população estadual. Os cânceres de traqueia/brônquios e pulmões (13,75/100 mil) e câncer de estômago (9,40/100 mil) aparecem em seguida.

Para 2014, a estimativa é que haja 7.990 novos casos de câncer de próstata em Minas. Um percentual de 24,5% dos 32.560 novos casos para todos os tipos de cânceres esperados para o sexo masculino. Mais uma vez, o câncer de próstata deverá apresentar o valor mais elevado da taxa bruta de incidência por neoplasias em homens – 78 casos novos por 100 mil homens da população estadual.

Fatores de Risco

O único fator de risco bem estabelecido para o desenvolvimento do câncer de próstata é a idade. Aproximadamente 62% dos casos diagnosticados no mundo ocorrem em homens com 65 anos ou mais. Com o aumento mundial da expectativa de vida, é esperado que o número de casos novos de câncer da próstata aumente cerca de 60% até 2015. A etnia e a história familiar da doença são consideradas fatores de risco, assim como os hábitos alimentares. Dietas com base em gordura animal, carne vermelha e embutidos apresentam evidências de aumento no risco de desenvolvimento da doença.

Um dos grande desafios para o diagnóstico precoce é a resistência masculina em realizar os exames de prevenção. Além do exame de sangue que mede os níveis de PSA, o exame físico (toque retal) também é importante para a detecção de alterações na próstata que podem exigir investigação mais detalhada para o diagnóstico.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.