quinta-feira, 18 de Junho de 2015 11:54h Atualizado em 18 de Junho de 2015 às 11:57h. Jotha Lee

Governo do Estado não repassa recursos e prorroga por mais um ano conclusão do anel viário

Obras de construção do viaduto sobre a ferrovia no Complexo da Ferradura foram paralisadas

Considerada pelo prefeito, Vladimir Azevedo (PSDB), como uma das principais obras estruturantes de seu governo, o anel viário, que liga o Distrito Industrial e o Complexo da Ferradura à rodovia de acesso a Carmo do Cajuru, não deverá ser concluído esse ano. A previsão feita pelo prefeito, conforme informação oficial publicada pela Diretoria de Comunicação da Prefeitura no dia 22 de janeiro, era de que a obra seria entregue até meados desse ano. Entretanto, o atraso no repasse de recursos pelo Estado, que não tem data para liberar a verba, vai atrasar a entrega da obra, que deverá ficar pronta somente em 2016.
O asfaltamento de 2,6 quilômetros do anel viário já foi concluído, porém o viaduto sobre a Ferrovia Centro-Atlântica ainda está pela metade e a obra foi paralisada há 15 dias. Ontem, a reportagem da Gazeta do Oeste esteve no local e não havia nenhum funcionário e nenhuma máquina da Lamar Engenharia, empreiteira que venceu a concorrência para a execução da obra. A empreiteira venceu a concorrência pelo valor de R$ 7.043.038,41, entretanto, com o atraso do Estado em repassar sua parte no convênio, foi necessário um aditivo contratual de R$ 182.423,15 (2,59%), elevando o valor final para R$ 7.225.461,56.
As obras do anel viário foram iniciadas em 2013 e o empreendimento é fruto de uma parceria entre o município e os governos federal e estadual. De acordo com a Diretoria de Comunicação, o Estado deveria ter repassado R$ 800 mil em janeiro para a conclusão das obras do viaduto, que foram paralisadas pela metade. Informou, ainda, que a obra vinha sendo bancada pelos cofres do município, que em razão da crise financeira, não tem mais condições de tocar o empreendimento sem a entrada dos recursos de obrigação do governo estadual.

 

UM ANO
Em nota encaminhada ontem à Gazeta do Oeste, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico confirmou o atraso no repasse dos recursos e atribuiu a demora à crítica situação financeira em que o atual governo encontrou o Estado, acrescentando que a expectativa é de que em um ano seja possível repassar o restante da verba.
Leia a íntegra da nota enviada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico: “O Governo de Minas Gerais detectou, por meio do Diagnóstico de MG, que o Estado tem um déficit orçamentário de R$ 7,4 bilhões. Diante disso, está fazendo um esforço contínuo para reequilibrar as contas públicas, implementando um sistema de restrição orçamentária. Sabendo da importância da obra para o município, o atual governo estadual está trabalhando junto à Prefeitura de Divinópolis um aditivo de prazo, de 12 meses, para o convênio, firmado em 2010, entre a Prefeitura, Estado e União. A expectativa é de que seja possível repassar o restante nesse prazo, a fim de possibilitar a conclusão das obras e atender o município de Divinópolis, polo da região Centro-Oeste, fundamental para o desenvolvimento econômico do Estado.”
De acordo com o prefeito Vladimir Azevedo, a obra é de grande importância para o reaquecimento industrial do município.  “Nesta região, a Prefeitura tem uma área de um milhão de metros quadrados, que nós adquirimos no meu primeiro governo, e agora teremos essa ligação do Centro Industrial e outros bairros da região Nordeste, como Icaraí, Candidés, São Caetano, Lagoa dos Mandarins, com a região Sudeste, que formará a primeira etapa do anel urbano. Será uma facilidade para os trabalhadores do Centro Industrial, do acesso à rodovia que liga a capital mineira, acima de tudo deixando um novo Centro Industrial de Divinópolis, que será um marco que queremos coroar nessa nossa gestão”, destacou.
O percurso do anel viário atende ao escoamento de produção da região do Distrito Industrial sem necessidade de trafegar pelo Anel Rodoviário, o que encurtará o trajeto de escoamento em 30 quilômetros. Além de propiciar expansão do Centro Industrial e melhoria no acesso entre regiões do município, especialmente entre as Regiões Sudeste e Nordeste, a obra colaborará para melhoria do tráfego na área urbana de Divinópolis em razão do grande fluxo de ônibus e caminhões que atualmente circulam pela região Central.
O prefeito ainda não se manifestou sobre a posição do Estado, que prorroga por mais um ano a conclusão da obra já que, até ontem à tarde, ele ainda não havia sido comunicado oficialmente da decisão. 

 

Crédito: Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.