segunda-feira, 19 de Outubro de 2015 10:17h

Governo entrega mais de 7 mil itens para produtores rurais que participam de feiras livres

Barracas, jalecos, caixas plásticas e balanças eletrônicas estão entre os equipamentos que serão repassados a agricultores familiares de vários municípios mineiros

O Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário (Seda), pretende entregar, até o final deste ano, 800 barracas, 1.600 jalecos e 4.800 caixas plásticas para cidades que promovem feiras livres com a produção de agricultores familiares. A medida faz parte do Programa de Apoio às Feiras Livres, uma das ações da política de incentivo à Agricultura Familiar.

Para cumprir essa meta, a Seda informou que está em fase final a licitação para compra de 53 “kits-feira”, que serão entregues até dezembro de 2015, somando cerca de 80 distribuídos aos produtores ao longo do ano.Cada kit é composto por 10 barracas, 20 jalecos e 60 caixas plásticas.

Para os próximos anos estão previstos investimentos de mais de R$ 3 milhões, que beneficiarão agricultores familiares de 320 municípios mineiros. Também será incluída no pacote a entrega de balanças digitais e lixeiras.

Incentivo

O superintendente de Acessos a Mercados e Comercialização da Seda, Lucas Scarascia, destaca que o programa visa dar aos pequenos produtores mais infraestrutura para expor e vender suas mercadorias.

Scarascia ressalta ainda que o incentivo ás feiras livres é importante porque são instrumentos que dão autonomia comercial aos agricultores e aumentam a renda.

“São espaços de convivência, de troca de experiência, além de proporcionar segurança alimentar aos consumidores, valorização da produção local e respeito a vocação de cada região”, salienta o superintendente.

Fonte de renda

Até o final de outubro, o Programa de Apoio às Feiras Livres vai somar 25 municípios contemplados. Entre as cidades que já receberam o “Kit-Feira” está  Aracanduva, no Vale do Jequitinhonha.

A prefeita Maria Arlete Azevedo diz que o kit serviu para motivar os 25 agricultores familiares que expõem todo sábado na feira livre do município.

A venda de mercadoria na feira livre é a principal fonte de renda das famílias desses agricultores, que não teriam condições de custear equipamentos como barracas, caixas plásticas e jalecos.

Segundo Maria Arlete, o fornecimento dos itens pelo Governo do Estado dá impulso aos produtores e incentiva as famílias a permaneceram no campo.

Dignidade ao feirante

Agricultores familiares de Jaboticatubas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), também estão na lista dos que já receberam o “kit-feira”.

“As barracas e outros itens dão dignidade aos pequenos agricultores e valorizaram seus produtos”, afirma Luiz Felipe Cunha, diretor executivo da Associação de Educação, Ecologia e Solidariedade Amanu. A entidade reúne 35 agricultores familiares que, duas vezes por mês, participam da feira livre “Raízes do Campo”.

“Essa política de apoio à agricultura familiar vem atender a uma demanda antiga dos movimentos sociais, dos pequenos produtores rurais. É importante para estimular esse produtor, para que ele possa gerar renda e se manter na terra”, conclui Luiz Felipe.

Beneficiados

Além dos produtores familiares de Jaboticaturas e Aracanduva, também estão entre os beneficiados, até o final deste mês,  os agricultores dos municípios de Araçuai, Berilo, Capelinha, Chapada do Norte, José Gonçalves de Minas, Novo Cruzeiro, Francisco Badaró, Turmalina e Veredinha (Vale do Jequitinhonha); Bocaiúva, Coração de Jesus e Monte Azul (Norte de Minas);  Bom Sucesso (Centro-Oeste); Brumadinho, Ibirité e São José da Lapa  (RMBH); Campo do Meio, Inconfidentes e Santana da Vargem (Sul de Minas); Dores do Turvo (Zona da Mata); Mesquita (Vale do Aço); Paracatu (Nordeste de Minas); e São João Del Rei (Campo das Vertentes).

Programa

O Programa de Apoio às Feiras Livres vai fornecer o “kit-feira” para 320 municípios em quatro anos. No total, serão investidos R$ 3 milhões neste período. A intenção do Estado é ampliar a venda dos agricultores familiares, contribuindo para a consolidação de assentamentos agrários e para o estímulo à plantação de produtos orgânicos.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.