segunda-feira, 10 de Agosto de 2015 10:49h

Governo libera recursos para restauração da capela-sede da Fazenda Boa Esperança

Obras, no valor de R$ 408 mil, vão recuperar patrimônio histórico que servia de hospedagem a Dom Pedro II, em Belo Vale

A restauração da capela-sede da Fazenda Boa Esperança, no município de Belo Vale, a 87 km de Belo Horizonte, está garantida pelo Governo de Minas Gerais. O Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha) publicou no Diário Oficial do Estado, na última terça-feira (4/8), a liberação de R$ 408 mil para a conclusão das obras de restauração de um dos principais estabelecimentos rurais da região.
A capela integra o conjunto arquitetônico da fazenda que pertenceu ao Barão de Paraopeba, Romualdo José Monteiro de Barros, presidente da Província de Minas Gerais, em 1830. Com tratamento decorativo requintado, o interior da edificação evidencia o poder e o prestígio do antigo proprietário da fazenda, que durante o Império hospedou personalidades ilustres, entre elas o imperador Dom Pedro II.
Dedicada ao Senhor dos Passos, a igreja preserva trabalhos ornamentais e pinturas em estilo rococó, expressão artística do final do século 18. Teto e paredes são revestidos por painéis pintados, com autoria atribuída a João Nepomuceno, conforme estudos recentes. As pinturas representam, entre outras, as cenas da Anunciação, a Adoração dos Pastores e o Sacrifico de Isaac.
A restauração
O plano de trabalho da revitalização prevê o diagnóstico, combate, controle e monitoramento de pragas, além da finalização da restauração da porta e a recuperação e instalação da cruz da capela-sede da Fazenda Boa Esperança. O cronograma prevê início das obras ainda neste mês.
“Com previsão de quatro meses de execução, os serviços desta fase estão concentrados na restauração e instalação de porta e da cruz da capela”, afirma a diretora de Conservação e Preservação do Iepha, Soraia Aparecida Martins Farias.
Entre outros serviços que serão executados nesta fase da restauração, estão a recuperação pontual de alvenaria em pau-a-pique e do muro em pedra, além da revisão da cobertura da sede e da capela, a substituição do forro em esteira e a revisão do guarda-pó em madeira da igreja.
“A restauração do retábulo (estrutura da parte superior) do altar-mor e a pintura do forro, painéis laterais e outros elementos artísticos da capela foram contratados em 2013 e encontram-se em fase de finalização”, enfatiza a diretora.

Patrimônio
Adquirida pelo Estado e transferida em doação ao Iepha em 1974, a Fazenda Boa Esperança possui dois tombamentos que a protegem legalmente. O primeiro tombamento é federal, dedicado apenas ao imóvel da sede e está inscrito no livro do tombo das Belas Artes. Já o decreto estadual de número 17.009, assinado em 27/2/1975, abrange toda a área contida dentro do perímetro da propriedade.

Créditos: Izabel Chumbinho/Iepha MG

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.