sábado, 6 de Fevereiro de 2016 08:06h Atualizado em 6 de Fevereiro de 2016 às 08:48h. Agência Minas

Governo oferece tratamento grátis contra o tabagismo

Cerca de 18% dos mineiros com mais de 18 anos são fumantes; Governo oferece tratamento grátis nas unidades básicas de saúde

Se você é fumante, sabe como é difícil parar de fumar. Para tratar a dependência química e psicológica do cigarro é necessário determinação e tratamento adequado. Por isso, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) desenvolve diversas atividades de prevenção, conscientização e tratamento de tabagismo à população.

 

 

O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo. O Brasil concentra  14,7%  fumantes com mais de 18 anos, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde (IBGE, 2014). Em Minas Gerais, a proporção é de 17,8%, acima da média nacional. “A SES mantém a Rede de Tratamento que oferece o acompanhamento e monitoramento do fumante, além da capacitação para profissionais de saúde”, explica a Superintendente de Atenção Primária à Saúde, Maria Turci. Os medicamentos e materiais didáticos também são distribuídos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) dos municípios.

 

 

O Tratamento é feito em parceria com os governos federal e municipal e  oferecido gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). Ao procurar uma unidade de saúde, o interessado deve marcar uma consulta médica para análise das condições clínicas, incluindo o histórico de saúde, uso de medicamentos doenças. A partir daí será definido como o paciente será tratado. Normalmente, os fumantes recebem suporte psicológico aliado à medicação que pode incluir o uso de antidepressivos para controlar os sintomas de abstinência provocados pela suspensão do uso da nicotina. E são feitas reuniões em grupo com a troca de experiências também fortalecer a humanização do tratamento. Tudo custeado pelas prefeituras, estado e governo federal.Atualmente, 78,8% dos municípios mineiros estão inseridos no Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) com ações planejadas para o tratamento de 41.562 tabagistas.

 

 

De acordo com a cardiologista e perita da Superintendência de Perícia Médica e Saúde Ocupacional da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão, Alba Machado de Sá, estima-se que, no Brasil, a cada ano, 200 mil pessoas morram precocemente devido às doenças causadas pelo tabagismo. “O tabagismo é diretamente responsável por 30% das mortes por câncer, 90% das mortes por câncer de pulmão, 25% das mortes por doença coronariana, 85% das mortes por doença pulmonar obstrutiva crônica e 25% das mortes por doença cerebrovascular”, afirma. Ainda de acordo com a médica, outras doenças que também estão relacionadas ao uso do cigarro são aneurisma arterial, trombose vascular, úlcera do aparelho digestivo, infecções respiratórias e impotência sexual no homem. 

 

 

Rede de tratamento pelo SUS

O INCA é o órgão do Ministério da Saúde responsável pelo PNCT e pela articulação da Rede de Tratamento do Tabagismo no SUS, em parceria com Estados e Municípios e Distrito Federal. A Rede foi organizada, seguindo a lógica de descentralização do SUS para que houvesse o gerenciamento regional do Programa.

O Estado possui parcerias com representações das secretarias estaduais e municipais de Saúde junto com o INCA/MS. O PNCT articula a Rede de Tratamento do Tabagismo no SUS, o Programa Saber Saúde, as Campanhas e outras ações educativas e a Promoção de Ambientes Livres de Tabaco. 

Pessoas que desejam parar de fumar devem procurar a UBS mais próxima da residência para se inserirem nos grupos de tratamento, ou procurar a secretaria de saúde do município. 


 

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.