quarta-feira, 20 de Janeiro de 2016 10:07h Atualizado em 20 de Janeiro de 2016 às 10:09h.

Governo recebe estudantes estrangeiros para trabalho voluntário nos órgãos estaduais

Projeto piloto foi lançado com a apresentação de estudante congolesa que trabalhará no governo por três meses

O Governo de Minas Gerais vai receber, este ano, estudantes de graduação e pós-graduação para intercâmbio voluntário nos diversos órgãos do estado. O projeto piloto foi lançado pela Assessoria de Relações Internacionais nessa terça-feira (19/1), com a assinatura do Termo de Estágio da estudante Armelle Cibaka, de 25 anos, que vem do Congo, na África.
A iniciativa é mais um fruto do esforço que vem sendo empreendido pelo Governo no processo de internacionalização de Minas Gerais, e a expectativa é que, a partir de março, o número de estudantes e pesquisadores estrangeiros trabalhando no governo seja ampliado. Eles serão encaminhados a instituições governamentais ou da sociedade civil para vivenciar e conhecer o cotidiano destas estruturas por um período de três meses.
“Os benefícios desta troca de experiência são muitos: além da projeção internacional de Minas, de uma maneira muito qualificada e focada no ambiente acadêmico internacional, há também uma rica troca cultural, pela introdução de uma cultura diferente em nosso ambiente de trabalho”, afirma o chefe da Assessoria de Relações Internacionais de Minas Gerais, Rodrigo Perpétuo.
Armelle, que já está há quase um ano no estado, é bacharel especialista em Direito Internacional e se prepara para iniciar o mestrado em Relações Internacionais na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas). “Estou muito animada. Meu principal objetivo é, além de entender como funcionam as relações internacionais na prática, trazer mais estrangeiros para o estado, fazer com que se interessem pela cultura daqui”, diz.
No próximo mês, a Assessoria de Relações Internacionais se prepara para receber mais um estudante, francês, que vai trabalhar voluntariamente no projeto das Olimpíadas 2016 no estado.

 



Rede de embaixadores
Em seu projeto de voluntariado no governo, a congolesa Armelle Cibaka estará diretamente envolvida na estruturação do projeto piloto do qual faz parte. Segundo o chefe da Assessoria de Relações Internacionais de Minas Gerais, Rodrigo Perpétuo, a ideia é que, a partir do início do semestre letivo nas instituições de ensino do estado, o projeto comece a tomar maiores proporções e, assim, seja construída uma rede de embaixadores de Minas Gerais pelo mundo.
“Vamos abrir duas chamadas: uma para todos os órgãos interessados indicarem suas demandas, e outra para as universidades recolherem as ofertas de estudantes voluntários. A partir daí, faremos o cruzamento destes dados, com base no perfil dos alunos e dos trabalhos”, explica. O principal pré-requisito, portanto, é que o estrangeiro tenha vínculo com uma instituição de ensino.
Em contrapartida, o órgão, município ou instituição que aderir ao programa deverá indicar um coordenador para orientar o voluntário, além de fornecer estrutura de trabalho e um projeto de atuação, para que o estudante já entre inserido em uma atividade específica.

 



Troca de experiências
Ao final do estágio de três meses, os estudantes deverão apresentar uma análise crítica sobre a experiência do voluntariado. “A ideia é que esta análise seja feita no formato de artigo. Assim, estaremos também incentivando a produção acadêmica sobre as políticas públicas no estado”, ressalta o chefe da Assessoria de Relações Internacionais de Minas Gerais, Rodrigo Perpétuo.
Além disso, o relatório contribuirá para estimular uma pesquisa permanente por parte dos pesquisadores acadêmicos internacionais sobre o desenvolvimento mineiro e, ainda, uma cultura de internacionalização na administração pública, a partir da presença destes estudantes estrangeiros.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.