quarta-feira, 5 de Setembro de 2012 08:46h Gazeta do Oeste

Greve na UFMG pode acabar na segunda-feira

A greve na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) está a um passo do fim. Ontem, o Sindicato dos Professores de Universidades Federais de Belo Horizonte e Montes Claros (Apubh) sugeriu aos docentes o encerramento da paralisação na segunda-feira. A decisão será votada hoje, em assembeia no câmpus Pampulha, às 14h. Na maior instituição de ensino superior do estado, a unidade do movimento ficou comprometida depois da saída de cinco cursos.

 

 

Hoje, recomeçam as aulas do curso de filosofia. Os professores de antropologia e ciências sociais preparam a volta para semana que vem, assim como os do Instituto de Ciências Exatas (Icex), cujos trabalhos serão retomados na segunda-feira, de acordo com a assessoria da UFMG. Também já voltaram às atividades os cursos de gestão pública e história.

 

Apesar do indicativo de volta às aulas, os trabalhos não devem ser retomados na semana que vem, segundo os grevistas. A professora Dirlene Marques afirma que, caso a categoria vote pela suspensão da greve, serão feitas reuniões nas unidades de ensino e, na segunda, nova assembleia para reiterar a decisão e acertar uma proposta de calendário. “Vai demorar um pouco até a reitoria organizar o calendário e os professores fecharem as notas para que as aulas possam ser retomadas”, afirma.

 

 

Para Dirlene, a volta é consequência dos rumos recentes do movimento. “Considerando que agora o projeto de lei (que trata do aumento salarial e da carreira dos professores universitários) foi para o Congresso, as coisas ficam mais difíceis porque o governo tem maioria na Casa”, diz. Mas essa é justamente a esperança da categoria, que confia num diálogo com o Senado para alterar o plano de carreira. Na semana passada, os parlamentares assinaram carta para ser encaminhada aos ministérios do Planejamento e da Educação e à presidente Dilma Rousseff, pedindo a reabertura de negociação, em reunião na comissão de educação.

 

Esta semana é considerada decisiva em todas as universidades do país. O Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) orientou as instituições que façam assembleias hoje e amanhã para votar a continuidade da greve e, caso decidam pelo fim dela, que indiquem uma data de término. A expectativa é de que segunda-feira a paralisação seja encerrada oficialmente em todo o país.

 

 

Ontem, a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), na Zona da Mata, aprovou a suspensão unificada da paralisação na quarta-feira. A Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) também já havia aprovado indicativo de encerramento, mas para o dia 17. As decisões serão informadas ao comando nacional de greve e os professores vão aguardar agora o resultado das assembleias nas outras instituições. Além da UFMG, se reúnem hoje em Minas os professores das federais de Lavras (Ufla), no Sul do estado, de Ouro Preto (Ufop), na Região Central, e UFVJM. 

 


Matrícula e inscrição adiadas

 

 

As universidades federais de Uberlândia (UFU), no Triângulo Mineiro, e de Juiz de Fora (UFJF), na Zona da Mata, decidiram adiar as matrículas dos alunos aprovados para o segundo semestre deste ano. De acordo com as assessorias de imprensa, não há data prevista, pois as instituições vão esperar o fim da greve e a conclusão do primeiro semestre letivo. Nas outras universidades, as matrículas estão sendo feitas ou já foram concluídas. Já o Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG) adiou o início do período de inscrições para o vestibular do primeiro semestre de 2013 dos ensinos técnico e superior. As inscrições começariam esta semana, mas foram suspensas para adequações no edital. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EM

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.