quinta-feira, 13 de Agosto de 2015 13:33h

Iepha abre as comemorações do Dia do Patrimônio no Circuito Liberdade

A temporada de atividades comemorativas incluem seminários sobre o Circuito Liberdade, instalação urbana na Praça da Liberdade e mostras e atividades em todo o estado

O Dia do Patrimônio Histórico e Cultural vai ser comemorado no dia 17 de agosto, marcando o início de uma temporada de atividades e ações que se estenderão até o final de setembro, em todo o estado. As atividades incluem seminário, instalações urbanas, mostras e apresentações teatrais.
Em Belo Horizonte, a programação será realizada no Circuito Liberdade, que hoje é gerido pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais - Iepha/MG. Todas as atividades são gratuitas e abertas à população.
Na data oficial, dia 17, o secretário de Estado de Cultura, Angelo Oswaldo, e a presidente do Instituto Estadual do Patrimônio Artístico de Minas Gerais (Iepha), Michele Arroyo, abrem as comemorações dando posse aos novos integrantes do Conselho Estadual de Patrimônio (Conep). A cerimônia acontece na sede do Iepha, às 9h30, na Rua Aimorés, 1697, Funcionários.
Nos dias 24 e 25 de agosto, a Biblioteca Estadual Luiz de Bessa recebe o “Seminário Estadual do Patrimônio Cultural: Circuitos Culturais e as Cidades”. Com o tema “O Circuito que queremos”, seis mesas redondas vão reunir acadêmicos, coletivos e representantes de movimentos sociais de Belo Horizonte e de outras cidades, para uma ampla discussão em torno das perspectivas de articulação do Circuito Liberdade. O seminário vai reunir gestores culturais, representantes dos órgãos de patrimônio, acadêmicos e movimentos sociais e coletivos que vêm atuando na área da cultura, patrimônio, espaços públicos e urbanidade.
Ainda como parte das atividades do Dia do Patrimônio, a partir de setembro, a Praça da Liberdade receberá uma grande instalação urbana. Inspirada nas referências visuais do inventário do Rio São Francisco, produzido pelo Iepha, a mostra apresenta a riqueza cultural das margens do Velho Chico e também o universo dos sertanejos, num rico painel que passa por todo o patrimônio imaterial da região. “Alameda São Francisco: a memória do rio inunda a cidade” retrata os modos de fazer, as lendas, a música, o artesanato, as comidas típicas e as frutas do cerrado, entre muitas outras particularidades que margeiam o São Francisco.
Os espaços que integram o Circuito Liberdade farão parte das celebrações do Dia do Patrimônio e diversos equipamentos irão apresentar pequenas mostras lembrando a importância da defesa da memória das cidades e do país.
As comemorações não irão se restringir à capital, já que a data coincide também com as atividades da Jornada Mineira do Patrimônio Cultural, promovida pela Secretaria de Estado da Cultura e pelo Iepha, em todo o estado. Neste ano, mais de 500 municípios mineiros se inscreveram e promoverão ações de preservação e promoção do patrimônio cultural entre os dias 17 de agosto de 30 de setembro.
Em sua 5ª edição, a jornada apresentará diversas atividades dentre seminários, oficinas, exposições, feiras, festivais, apresentações musicais e de teatro, visitas guiadas a bens culturais, encontros e ações de educação patrimonial.

Patrimônio
Desde 2012, Minas Gerais reserva o dia 17 de agosto para as celebrações oficiais do Dia do Patrimônio Histórico e Cultural. A data lembra o aniversário do belo-horizontino Rodrigo Mello Franco de Andrade, nascido na capital do estado em 1898 - quando Belo Horizonte tinha apenas meses de vida - e que foi o primeiro presidente do IPHAN, ou SPHAN, como era chamado o então Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.
“Rodrigo dirigiu o IPHAN durante cerca de 30 anos e nos legou uma obra admirável. O singular devotamento à missão de proteger os acervos culturais do país é uma inspiração permanente e faz do seu aniversário a festa do patrimônio de todos os brasileiros”, ressalta o secretário estadual de Cultura, Angelo Oswaldo. Segundo o secretário, neste momento de celebração, o Iepha inaugura largas perspectivas para a política de patrimônio em Minas Gerais, contando com a efetiva participação da sociedade e dos cidadãos. "O patrimônio é de todos, pelo que ninguém se excluirá dos desafios da meta”, afirma Angelo Oswaldo.

Conep
O Conselho Estadual de Patrimônio Cultural (Conep) é composto por 19 representantes de secretarias de Estado, Assembleia Legislativa, universidades, instituições de cultura, associações e organizações não governamentais, além de membros da sociedade civil, que foram designados pelo governador Fernando Pimentel para integrar o Conselho.
Os novos membros do Conep têm como presidente o secretário de Estado da Cultura de Minas Gerais, Angelo Oswaldo, e como secretária-executiva a presidente do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha/MG), Michele Abreu Arroyo.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.