terça-feira, 8 de Outubro de 2013 08:59h

IMA fiscaliza 574 propriedades de soja durante o vazio sanitário

Nos 90 dias da operação, 105 produtores foram notificados e sete atuados

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) vistoriou, durante o vazio sanitário da soja, 574 propriedades em Minas Gerais, totalizando 182.257,77 hectares. Os 90 dias em que o cultivo da cultura esteve proibido, entre 1º de julho a 30 de setembro, foram de intensa fiscalização. A medida foi implantada em 2007 e tem como objetivo reduzir o impacto negativo causado pela Ferrugem Asiática da Soja, diminuindo o prejuízo dos agricultores.

A Ferrugem Asiática da soja é uma doença causada por um fungo.  Os primeiros sintomas se manifestam nas folhas com o aparecimento de minúsculos pontos escuros. Posteriormente ao aparecimento das lesões ocorre a desfolha da planta que evita a completa formação dos grãos e consequente redução de produtividade. O desenvolvimento da doença é extremamente rápido e ela se espalha com facilidade pelo vento e causa grandes prejuízos à produção.

Durante o  vazio sanitário da soja, 105 produtores foram notificados e apenas sete autuados. O gerente de Defesa Sanitária Vegetal do IMA, Nataniel Diniz Nogueira alerta que o número de notificações aumentou em relação ao ano passado, representando 17% do total de fiscalizações. “O produtor precisa se conscientizar que é o principal beneficiado com a medida. Contamos com o apoio dos produtores na manutenção do vazio sanitário, pois o dano ocasionado por esta praga é a redução da produção”, afirma.

A legislação vigente proíbe a existência de plantas vivas durante o vazio sanitário da soja, a não ser nas áreas de pesquisa científica e de produção de sementes genéticas devidamente autorizadas pelo IMA. No entanto, os plantios para fins de pesquisa também ficam sujeitos à fiscalização e caso as áreas não respeitem os padrões de conformidade (ferrugem zero), são destruídas pela fiscalização.

O diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto, a medida é  importante para o produtor e para o agronegócio mineiro .“O controle preventivo e o combate às pragas garantem a qualidade dos alimentos para os consumidores e uma boa safra para os produtores, mantendo a competitividade dos produtos mineiros nos mercados nacional e internacional”, informa.

De acordo com dados do Consórcio Antiferrugem não foi registrado nenhum caso de Ferrugem Asiática da Soja na safra de 2013/2014.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.