segunda-feira, 20 de Agosto de 2012 14:22h Gazeta do Oeste

Imobiliária é suspeita de causar prejuízo de até R$ 5 milhões a clientes em MG

O fechamento repentino de uma imobiliária virou caso de polícia em Poços de Caldas, no Sul de Minas Gerais. As investigações iniciais apontam prejuízos que giram em torno de R$ 3 a 5 milhões a clientes que mantinham contrato de compra e venda de imóveis com o estabelecimento. A suspeita é de que a empresa tenha falido. As portas estão fechadas desde o dia 8 de agosto e o site da imobiliária suspenso.

 

 

De acordo com o delegado responsável pelas investigações, José Armando Ferraz, 20 inquéritos já foram abertos para investigar a dona da imobiliária Terra Imóveis, Valéria Conceição Terra. A empresária, que ainda não foi ouvida, deve se apresentar à polícia nesta terça-feira para prestar esclarecimentos. 

 

O advogado de Valéria, Wanderlei de Melo, disse que não houve má fé, e sim, problemas financeiros na imobiliária. O defensor afirmou que parte da dívida contraída pela empresária é oriunda de empréstimos feitos com até 100% de juros, fazendo com a dívida triplicasse. “É isso que estamos investigando também, porque houve má-fé nos empréstimos, caracterizando até mesmo agiotagem”, disse. Wanderlei de Melo afirmou ainda que a empresa vai entrar com uma ação de insolvência civil para garantir o ressarcimento aos clientes na forma determinada em juízo. “A nossa intenção é entrar em acordo com o maior número de pessoas, na medida do possível”, ressaltou.

 

 

O delegado José Armando Ferraz afirmou que a dona da imobiliária é suspeita de apropriação indébita, falsidade ideológica e falsificação de documento público. “Vamos investigar o patrimônio dela e da empresa, para assegurar a possibilidade de reparação dos danos”, explicou. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.