segunda-feira, 29 de Outubro de 2012 05:56h Gazeta do Oeste

Implantes dentários deixam cliente sem motivo para sorrir

O pedido de ressarcimento pelo pagamento feito por um serviço não realizado virou uma verdadeira novela para a pedagoga Jaqueline de Fátima Padula, que não consegue resolver o problema com a Você Implantes. A empresa tem várias unidades no país, uma delas no bairro Santa Efigênia, em Belo Horizonte. "Já fiz mais de 20 ligações interurbanas para a sede da empresa, em São Paulo, mas até agora nada", reclama.

Ela conta que o impasse foi herdado do pai, Nilton Padula, que morreu no dia 3 de agosto deste ano, sem ter iniciado o tratamento. "A consulta estava marcada para o dia 17 de agosto, mas meu pai morreu antes", diz.

Jaqueline afirma que, no dia 9 de agosto, foi à clínica cancelar o tratamento e solicitar a devolução dos R$ 1.500 pagos antes do início do serviço, que acabou não sendo realizado. "Naquele momento, a empresa já não foi correta, pois inventou que o meu pai tinha feito alguns procedimentos. O que ele fez foi um raio-x pago à parte, que custou R$ 45. Meu pai era muito organizado e tinha o recibo de tudo", relata.

De acordo com ela, o contrato e o atestado de óbito foram enviados pela unidade de Belo Horizonte para São Paulo. Ela então foi informada que o ressarcimento seria feito num prazo de 15 a 30 dias - o que ainda não ocorreu. "Passei a fazer contatos com Você Implantes em São Paulo. A empresa pediu número da conta do banco para fazer o depósito, que não foi realizado".

A pedagoga ressalta que fez uma reclamação no Procon no dia 9 de outubro, e no site Reclame Aqui. "Não é questão de dinheiro. A empresa foi desonesta. Eu só quero o que é certo, nada mais", frisa.

Jaqueline não é a única com problemas com a Você Implantes. O inspetor de qualidade Adelson Oliveira afirma que o serviço oferecido pela empresa deixa a desejar. "Terminei o tratamento depois de quase um ano. Eu me deslocava de Betim para Belo Horizonte com tudo agendado e perdia a viagem. Eles não me atendiam", conta. "Foram três vezes. Eles pediam desculpa e prometiam que não iria acontecer de novo, só que a situação se repetia", recorda.

Ele ressalta que outro problema enfrentado foi a demora de até três meses para marcar as consultas. "Ainda tenho dois implantes para fazer, mas nunca mais eu procuro essa empresa. A gente deixa de fazer muitas coisas para fazer o tratamento, abre mão, e ainda se decepciona", diz.

Oliveira afirma que foi iludido pelas propagandas veiculadas durante um programa de televisão. "Eu confiei. Achei que o apresentador não iria colocar o nome dele numa empresa que não fosse boa. Agora eu aprendi", ressalta.

Ele afirma que após enfrentar esses problemas, procura se informar antes de contratar qualquer serviço. "As pessoas devem procurar informações nos sites e também referências de outros consumidores", aconselha.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.