terça-feira, 11 de Agosto de 2015 14:08h

Infraestrutura, energia e cimento devem receber mais investimentos nos próximos dois anos

Estudo do Sebrae Minas aponta que mais de R$ 44 bilhões estão previstos para serem investidos em Minas Gerais até junho de 2017

Os segmentos de infraestrutura de transportes, energia e cimento devem receber mais investimentos nos próximos dois anos em Minas Gerais. É o que mostra o Boletim Trimestral de Investimentos, organizado pelo Sebrae Minas que avalia o total de investimentos anunciados e previstos para o período de julho de 2015 a junho de 2017.

De acordo com o levantamento serão investidos no estado cerca de R$ 44,2 bilhões, R$ 2,9 bilhões a menos que o calculado no estudo anterior, referente ao período de abril de 2015 a março de 2017. “Um dos motivos dessa queda é recuo dos investimentos da indústria extrativa em Minas, principalmente devido à diminuição do consumo nacional de minério de ferro, em especial nas empresas de metalurgia. Além disso, o preço dessa commodities vem caindo desde 2014, motivando a redução no valor das exportações”, explica a analista da Unidade de Inteligência Empresarial do Sebrae Minas, Paola La Guardia.

Apesar disso, o segmento da mineração concentra ainda a maior parte dos investimentos do estado, cerca de R$ 11.496 bilhões. 75% dos aportes neste segmento devem ocorrer na região Central, principalmente em Morro do Pilar e Congonhas.

Além da mineração, outros segmentos como água e saneamento, fertilizantes, shoppings e siderurgia terão os aportes reduzidos segundo a pesquisa.
Na contramão da redução de investimentos, três segmentos registraram aumento dos aportes previstos em relação ao último levantamento. Foram eles: infraestrutura, motivado por novos aportes em melhorias e manutenção de estradas; energia, depois do anúncio da construção de parques solares no estado; e o segmento de cimento, influenciado principalmente pela instalação de uma nova fábrica em Romaria, no Triângulo Mineiro.

Também foi verificado que algumas regiões como Norte, Jequitinhonha e Mucuri e Centro, receberão mais investimentos do que o esperado se comparado com suas participações do PIB (Produto Interno Bruno) do estado, em 2012.

Do total dos R$ 44,2 bilhões que serão investidos em Minas, R$ 30.528 milhões irão para indústria, R$ 2.159 milhões para agronegócios, R$ 9.600 milhões para o setor de serviços e R$ 1.927 milhões para o comércio.

Já a distribuição por região, o Centro do estado lidera o ranking de investimentos com R$ 23.791 milhões, na frente do Triângulo Mineiro com R$ 6.933 milhões, Sul com R$ 3.367 milhões, Rio Doce com R$ 2.943 milhões, Norte com R$ 1.970 milhões, Jequitinhonha e Mucuri com R$ 1.751 milhões, Zona da Mata com R$ 1.612 e Noroeste com R$ 500 milhões.

Em relação aos municípios que devem receber o maior volume de aporte no período estão: Morro do Pilar (R$ 2.923 milhões), Nova Lima (R$ 2.921 milhões), Betim (R$ 2.611 milhões), Congonhas (R$ 1.730 milhões) e Itabirito (R$ 1.575 milhões).

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.