quinta-feira, 18 de Dezembro de 2014 07:38h

Jogo para smartphone e tablet reforça a campanha contra a dengue

Game Acabe com o Mosquito está disponível para download gratuito nas lojas da Apple, Android e Windows Phone

A manhã desta quarta-feira (17/12) foi de diversão e aprendizado para nove estudantes que acompanharam o lançamento do jogo Acabe com o Mosquito, promovido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) como estratégia de campanha no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e da Febre Chikungunya.

Para passar por cada uma das 10 fases do jogo, os jogadores precisam superar desafios que vão de eliminar água parada em garrafas pets a evitar que o garoto doente tome remédios por conta própria. O jogo foi aprovado pelos jovens, que mostraram grande desenvoltura no primeiro contato com a plataforma.

“Eu achei muito legal, porque, depois que você passa de cada fase, ele te dá uma legenda com tudo o que você precisa saber sobre a dengue, sobre aquele passo, naquela fase. O objetivo do jogo é fazer as coisas que você faria no dia a dia, as coisas práticas. Então, dá para sair do jogo e ir para as coisas práticas”, avalia Anna Carolina Incerti, 18, aluna do Colégio São Paulo.

Os irmãos Júlio César Evaristo, 10, e Natália Evaristo, 11, alunos da rede pública de ensino, também se divertiram aprendendo os cuidados no combate às doenças. “Eu achei o jogo muito legal. Aprendi muita coisa, como a não deixar água no pneu. Eu achei mais divertido aprender assim, porque eu não sabia muita coisa”, disse o menino. “É melhor aprender no celular e aprender também em casa a não deixar água parada”, completou a irmã. O colega dos dois irmãos, Cristiano Venceslau da Silva, 10, garantiu que vai fazer em casa tudo o que aprendeu no jogo porque “é bom que eu aprendo mais”, emendou.

O professor de biologia do Colégio São Paulo, Rodrigo Penido de Aguiar, afirmou que as novas tecnologias têm sido aliadas também em sala de aula. “As novas tecnologias nos auxiliam muito porque é o caminho mais rápido para acessar os jovens e fazer com que eles se sintam mais interessados tanto pela matéria quanto pelos assuntos atuais”, disse.

A importância do engajamento dos mais jovens nas ações de saúde pública foi enfatizada pelo secretário de Estado de Saúde, José Geraldo de Oliveira Prado. “A gente tem uma experiência muito interessante em trabalhar com as crianças. As crianças são fortes definidoras das ações dentro de casa. Então, quando uma criança assume um papel, tem a informação e toma uma atitude em cima disso e ela acaba mudando a atitude de uma família inteira”, contou.

O lançamento do jogo contou ainda com uma roda de conversa com profissionais e especialistas das áreas de saúde, tecnologia e comunicação.

Uma nova forma de aprender

Lucas Cruz, game designer da empresa Rox 7, responsável pelo desenvolvimento do jogo, apresentou o projeto e explicou o processo de criação. “O jogo preza pela ideia de que para você atingir as pessoas de forma eficaz você não tem que jogar apenas propagandas, informações e orientações. Então a ideia é essa, se você diverte o cidadão ele aprende se divertindo. Foram propostos dez mini games aleatoriamente distribuídos e com nível de dificuldade gradativo. Nesses mini games os jogadores aprendem especificamente cada tipo de ação que ele deve fazer no combate contra a dengue em uma casa que começa toda bagunçada e, à medida que ele vai jogando, ele vai organizando a casa dele. Quando recebemos essa proposta achamos sensacional, tínhamos outro jogo em produção, um projeto grande da empresa, mas decidimos por dar uma pausa nele e pegar um mês e meio, virar noite e fazer acontecer”, conta entusiasmado com o resultado.

O secretário de Estado de Saúde, José Geraldo de Oliveira Prado, falou dos esforços da SES em levar informação à população e ao desafio de fazer com que a informação se transforme em ação. “Hoje tanto nós, Secretaria de Estado de Saúde, quanto o Ministério da Saúde, temos lançado mão de todos os recursos disponíveis para que a informação chegue às pessoas no sentido de combater o vetor, que é a única maneira efetiva de a gente diminuir a infestação e o ataque pela doença. As pessoas hoje sabem muito sobre dengue, sabem sobre como preveni-la. Mas às vezes esse saber não vira ação. Eu sei como combater o mosquito, sei que não pode ter água parada, que não posso me auto medicar, mas entre saber e tomar uma atitude vai uma distância às vezes muito grande”, avaliou.

Mediador da mesa, o jornalista e relações públicas, Frederico Vieira, falou sobre o crescimento da presença dos ambientes virtuais na vida das pessoas e da fusão entre virtual e real que facilita o engajamento das pessoas em ações de mobilização social. “À medida que tenho um trabalho hoje, especialmente com mídias móveis, e isso tem entranhado na vida offline, eu não vejo mais separado esses dois ambientes. Eu acho que nessas novas versões, a chance que você tem de explorar melhor o ambiente offline, o real, é maior que no passado quando as redes sociais não estavam tão imbricadas. Estamos nos aproximando de uma condição tecnológica de imbricamento que vai facilitar isso”, afirmou.

O jogo Acabe com a Dengue está disponível para download gratuito nas lojas das plataformas Android, Windows Phone e Apple.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.