terça-feira, 6 de Agosto de 2013 12:22h

Jovens rurais de Dom Joaquim e Virginópolis capacitados pela Emater-MG se envolvem mais com problemas das comunidades, enquanto iniciam projetos produtivos

Jovens rurais dos municípios de Dom Joaquim e Virginópolis, na região Leste do Estado, que passaram por cursos de capacitação da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de |Minas Gerais (Emater-MG), estão mais motivados com as demandas d

Jovens rurais dos municípios de Dom Joaquim e Virginópolis, na região Leste do Estado, que passaram por cursos de capacitação da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de |Minas Gerais (Emater-MG), estão mais motivados com as demandas das comunidades onde moram e começam a dar os primeiros passos em direção à construção de projetos produtivos para o próprio sustento. O testemunho vem dos extensionistas da empresa que atuam nos escritórios locais destas cidades. Eles acompanharam todo o treinamento, promovido pela Emater-MG. A capacitação desses jovens culminou com a visita recíproca de cada grupo ao município do outro, para trocar experiência e conhecer a realidade de ambos.

Em Dom Joaquim, foram capacitados pelo Projeto Transformar, direcionado a filhos de agricultores familiares, 28 jovens do Distrito Gororós. O curso abordou temas levantados pelos próprios jovens. Entre eles, apicultura, bovinocultura, bordado e artesanato em tecidos, fibras de bananeira e palha de milho. “Foram várias horas de formação presencial e prática, que terminou com o intercâmbio entre os jovens de Dom Joaquim e Virginópolis”, relembra o técnico agropecuário da Emater-MG local, Thiago Perpétuo Pereira.

O resultado mais imediato, segundo Thiago, “foi a mudança de mentalidade” desses jovens, que passaram a enxergar novas oportunidades de trabalho e de participação na comunidade. “Acho que o maior ganho foi a politização desses jovens. Eles promoveram ações no final do ano passado, como o Encontro de Jovens. Também passaram a se ver como parceiro do trabalho dos pais e não mais como o filho trabalhando para o pai”, argumenta.

Agora, conforme Thiago Pereira, o desafio que está mobilizando os jovens capacitados é a busca de parcerias para viabilizar projetos produtivos. A ideia é investir no artesanato, tendo em vista a vocação turística do município que faz parte do Circuito da Serra do Cipó. “A opção por artesanato encontra explicação no fato desses jovens terem características dos de centros urbanos. Já existem associação de artesãos e loja de artesanato aqui”, explica.

Ainda conforme o extensionista da Emater-MG, os 28 jovens rurais capacitados se uniram a outros grupos treinados há mais tempo, em Dom Joaquim, e agora batalham com o suporte da Emater-MG, pela qualificação de artesãos locais. A ideia é que esses profissionais, devidamente preparados, possam ensinar aos jovens locais, as técnicas de trabalhos em argila, tecidos e fibras diversas (bananeira, cipó e taquara), fomentando uma nova atividade produtiva no campo.

Também em Virginópolis, os 14 jovens rurais da Comunidade dos Paulos, capacitados pelo Transformar, já começam a desfrutar dos resultados do treinamento bancado pela Emater-MG. Segundo a extensionista de Bem-estar Social, Maria de Lourdes Magalhães, mais conscientes das demandas do lugar, os jovens estão bem unidos e buscam resolver mais os problemas coletivos. “Eles fizeram uma festa junina para arrecadar dinheiro, com a finalidade de pintar a sede da associação local e para legalizar em cartório a situação da nova diretoria”, explica a técnica, também conhecida como Lourdinha.
Outra ação recente do grupo de jovens de Virginópolis, ainda está sendo comemorada: a colheita da lavoura coletiva implantada com sementes doadas pelo Programa Minas Sem Fome. A empreitada rendeu nesse mês de julho 35 sacas de feijão. Cada saca tem 60 quilos. E cada jovem ficou com uma saca, o restante da produção foi comercializado e investido na recuperação do trator agrícola. A próxima etapa, segundo o extensionista Jefferson Lázaro, que presta assistência ao grupo, é preparar o mesmo terreno para o plantio de milho. “O plantio deve acontecer em 90 dias. Vamos esperar a temporada de chuvas”, avisa.

Projeto Transformar atendeu mais de 8 mil jovens rurais no Estado
O incentivo à permanência do jovem rural no campo, por meio da qualificação profissional, é o principal objetivo do Projeto Transformar, que este ano está completando sete anos. O programa prevê a capacitação de filhos e filhas de agricultores familiares, na faixa etária de 16 a 29 anos.

Os jovens passam por cursos que utilizam um método pedagógico que alia teoria, em salas de aula, e prática na comunidade onde residem. O objetivo é promover a formação crítica, cidadã e profissional dos jovens rurais, habilitando-os para implementação de projetos produtivos, com geração de ocupação e renda. Desde que foi implantado em 2006, o Transformar já capacitou mais de 8 mil jovens no Estado com recursos da ordem de R$ 1,77 milhão. Só em 2012 foram atendidos 887 jovens.

A coordenadora estadual de Metodologia de Extensão Rural, Maria Helena Alves, explica porque vale a pena investir nesta população rural. “ O jovem rural continua migrando para os grandes centros e, lá chegando, muitas vezes, depara com poucas possibilidades de inserção digna no meio social, cultural, educativo e, em especial, no mercado de trabalho, pela exigência sempre crescente de profissionais qualificados”, argumenta.

Dados comparativos do censo IBGE de 2000 e 2010 mostram que, de fato a população rural no estado mineiro, na faixa etária de 15 a 29 anos, vem diminuindo, o que pode ser um sintoma da migração deste grupo para o meio urbano. Em 2000, Minas tinha 862.529 jovens rurais, enquanto dez anos depois, registrava 700.826 pessoas, na mesma faixa de idade. O número, segundo a coordenadora da Emater-MG, é mais que suficiente para justificar a necessidade de investir em políticas públicas para esse público. “Com um contigente de mais de 700 mil jovens no campo, precisamos de ações que atendam às necessidades, especificidades e pecularidades desse grupo rural”, ressalta.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.