terça-feira, 10 de Março de 2015 13:13h

Kits de irrigação garantem produção de alimentos por famílias no Norte de Minas

Para cultivar hortaliças nas cinco hortas comunitárias da localidade de São Geraldo, em Bocaiuva, município no Norte de Minas, o esforço das famílias era grande

“A gente buscava água com lata na cabeça, e muito longe”, conta Oglete Ferreira, presidente da Associação Comunitária Hortifruti da Terra. Agora, a realidade mudou: numa ação da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), as 30 famílias da associação passaram a ter nas hortas irrigação por gotejamento, com água extraída de um poço, por meio de cinco kits familiares de irrigação implantados. “Agora vamos ter tranquilidade e tempo para produzir, e ainda vender o excedente da nossa produção. Ainda neste semestre já estaremos produzindo com a utilização destes equipamentos”, comemora Oglete.

As famílias de Bocaiuva estão entre as beneficiárias da implantação de 250 kits familiares de irrigação no Norte de Minas Gerais, uma ação de convivência com a seca que integra os programas Água Para Todos (Segunda Água) e Desenvolvimento Regional Territorial Sustentável e Economia Solidária, ambos inseridos no eixo de inclusão produtiva do Plano Brasil Sem Miséria. O investimento em Minas, até agora, foi de R$ 130 mil – os recursos são oriundos da Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) do Ministério da Integração Nacional (MI).

Os equipamentos são parte de um conjunto de ações implantadas pela Companhia no estado que possibilita a produção de alimentos aos agricultores familiares que vêm sofrendo com a escassez da chuva nos últimos anos. As famílias beneficiadas vivem e produzem em pequenas comunidades rurais dos municípios de Januária, Mirabela, Montes Claros, Serranópolis de Minas, Bocaiuva, Jaíba, São Francisco, Brasília de Minas, Janaúba e Porteirinha.

Os kits são sistemas simplificados de irrigação localizada, compostos por um registro que regula a tomada de água, filtro de tela plástica, tubos de distribuição de polietileno, conectores, acessórios e tubos gotejadores para distribuição nos canteiros por meio de gotejamento localizado, que libera a água sem desperdício e na quantidade necessária para a planta se desenvolver. Cada um é dimensionado para irrigar uma área de até 500 metros quadrados, propiciando a produção de alimentos para subsistência familiar e a comercialização do excedente.

Com o equipamento, a irrigação, de acordo com a vazão da fonte de captação hídrica, pode ser feita pelo sistema de gravidade, sem a utilização de bombeamento, barateando, assim, o custo da produção agrícola, além de incentivar a produção sustentável, pois, o sistema por gotejamento apresenta uso racional da água, a diminuição do aparecimento de doenças foliares e adaptação a diferentes tipos de plantio. “Por ser de fácil operacionalização, qualquer pessoa, depois de receber instruções básicas, pode manejar o equipamento”, explica o engenheiro agrônomo Alex Demier, responsável pela ação na 1ª Superintendência Regional da Codevasf, sediada em Montes Claros (MG).

Os beneficiários da ação têm que estar inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), possuir experiência comprovada com agricultura; residir, preferencialmente, na zona rural e ter disponibilidade de água para utilização na irrigação, sem comprometer o consumo da própria família e a dessedentação dos animais.

Para Dimas Rodrigues, superintendente da Codevasf em Minas Gerais, ações como essa demonstram que, mesmo com pouco investimento, se alcançam grandes resultados sociais. “Os resultados são altamente satisfatórios na geração de renda e ocupação junto aos agricultores familiares, melhorando consideravelmente a vida dessas populações, razão pela qual estamos envidando todos os esforços para ampliar essas ações”, disse.

Rosangela Soares, chefe da Unidade de Arranjos Produtivos da Codevasf, avalia que a ação tem surtido o efeito desejado e que existem mais demandas a serem atendidas pela Companhia com sistemas simplificados e kits de irrigação de pequeno porte.

CadÚnico

A base de dados que identifica e caracteriza famílias de baixa renda é o Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). Trata-se de um instrumento que permite conhecer a realidade socioeconômica dessas famílias, trazendo informações de todo o núcleo familiar, das características do domicílio, das formas de acesso a serviços públicos essenciais e também dados de cada um dos componentes da família.

A partir da consolidação feita pelo governo federal dos dados coletados no Cadastro Único, o poder público pode formular e implementar políticas específicas, que contribuem para a redução das vulnerabilidades sociais a que essas famílias estão expostas. O CadÚnico é coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), devendo ser obrigatoriamente utilizado para seleção de beneficiários de programas sociais do governo federal.

Para ser uma beneficiária das ações de inclusão produtiva, as famílias devem ser cadastradas no CadÚnico e se enquadrar no perfil do Plano Brasil Sem Miséria, do governo federal, que se destina a famílias em situação de extrema pobreza e com renda per capita familiar mensal de até R$ 77. Caso a família ainda não seja cadastrada e se enquadrar nos critérios estabelecidos pelo plano, ela deverá procurar a secretaria de ação social do município e solicitar o cadastramento.

Segundo Izabel Aragão, gerente de Desenvolvimento Territorial da Codevasf, a participação da Companhia na execução das ações de inclusão produtiva dentro do Plano Brasil Sem Miséria está sendo uma ótima oportunidade de contribuir com as mudanças na situação de pobreza rural do nosso país. “Com a implementação das ações nas diferentes atividades produtivas, estamos possibilitando a melhoria da qualidade de vida dos agricultores familiares, garantindo a segurança alimentar e possibilitando a geração de emprego e renda”, destaca.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.