quinta-feira, 30 de Junho de 2016 15:13h Agência Brasil

Laboratório da Funed realiza diagnóstico e vigilância laboratorial para rubéola e sarampo

A Fundação, por meio do Serviço de Gerenciamento de Amostras Biológicas (SGAB), recebe amostras dos 853 municípios do estado

O Instituto Octávio Magalhães, Laboratório Central de Saúde Pública do estado de Minas Gerais (Lacen), da Fundação Ezequiel Dias (Funed), possui um laboratório responsável pelo diagnóstico e vigilância laboratorial de doenças exantemáticas (entre elas, o sarampo, a rubéola e os diferenciais de parvovírus B19 e dengue).

De grande importância para o monitoramento da saúde pública, o diagnóstico precoce dessas doenças proporciona a identificação do caso para a tomada de ações de bloqueio e controle. Entre as doenças infectocontagiosas, está a Síndrome da Rubéola Congênita (SRC), causada pela rubéola e contraída pela mãe durante a gravidez. Diversas complicações são desenvolvidas na gestante, principalmente no feto, como malformações congênitas (surdez, malformações cardíacas, lesões oculares e outras).

Já o sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, transmissível e extremamente contagiosa, muito comum na infância. A viremia, causada pelo contágio, provoca uma vasculite generalizada. Particularmente, quando contraída em crianças desnutridas e menores de um ano de idade, o quadro infeccioso torna-se mais propenso para agravamento.

 

 

 

Diagnóstico

De acordo com a bióloga e referência técnica no diagnóstico de sarampo e rubéola da Funed, Ana Luísa Furtado Cury, o diagnóstico laboratorial é realizado mediante a detecção de anticorpos IgM e IgG no soro. O caso suspeito é confirmado ou descartado, de acordo com a interpretação dos resultados dos exames sorológicos.

A Fundação, por meio do Serviço de Gerenciamento de Amostras Biológicas (SGAB), recebe amostras dos 853 municípios do estado. Ana Luísa explica que as amostras são conferidas, acondicionadas, triadas no sistema Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL) e só depois deste processo são encaminhadas ao laboratório para realização dos exames.

Os laudos são liberados através desta plataforma e ficam disponíveis para o solicitante em tempo real. Atualmente, são realizados exames de ELISA para detecção de anticorpos das classes IgM e IgG, tanto para sarampo quanto para rubéola.

 

 

Vacinação

A rubéola e a SRC estão oficialmente eliminadas no Brasil e nos demais países das Américas, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). A vacina é a única medida preventiva e a mais segura, tanto para o sarampo quanto para a rubéola. Para isso, é importante que o esquema vacinal esteja completo.

A primeira dose da vacina para as duas doenças deve ser aplicada aos 12 e 15 meses de vida. Todas as mulheres e homens até 49 anos também devem ser vacinados, independentemente de história pregressa da doença.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.