terça-feira, 24 de Março de 2015 13:02h

Leite pela Vida será restabelecido em municípios que estavam sem atendimento

O secretário de Estado de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais, Paulo Guedes, se reuniu, na manhã desta segunda-feira

O secretário de Estado de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais, Paulo Guedes, se reuniu, na manhã desta segunda-feira (23/3), com produtores rurais e donos de laticínios e cooperativas, no município de Manga, Norte de Minas. No encontro, ele informou que o programa Leite pela Vida será restabelecido nos municípios que estavam sem atendimento e que a Secretaria trabalha para dobrar o volume de leite adquirido e distribuído a famílias carentes das regiões Norte e Nordeste de Minas Gerais.

Paulo Guedes citou o município de São João das Missões, que tem quase 15 mil habitantes e abriga a maior população indígena de Minas Gerais – os Xacriabás. No município em que prevalecem condições de extrema pobreza, as famílias estão há mais de um ano sem receber o leite. “Vamos fazer novos contratos com laticínios e cooperativas para que o atendimento seja restabelecido imediatamente”, garantiu o secretário.

O programa Leite pela Vida, executado pelo Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene), braço operacional da Sedinor, já chegou a entregou 137 mil litros de leite/dia. Atualmente, são distribuídos apenas cerca de 75 mil litros/dia. Paulo Guedes afirmou que pretende dobrar o volume de leite do programa. Para isso, o Idene já está acertando com laticínios e cooperativas a ampliação das cotas. O município de Manga, por exemplo, passará de 1.100 para 2.200 beneficiários, Miravânia passará de 250 para 500 atendidos, assim como Juvenília, que vai distribuir 500 litros de leite/dia em vez dos atuais 250 litros.


Cotas de produtores

O secretário Paulo Guedes informou também que o Sistema Sedinor/Idene está buscando, junto ao Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), a ampliação das cotas dos produtores rurais. “Na semana passada, o diretor-geral do Idene, Ricardo Campos, esteve em Brasília para apresentar a proposta à coordenação nacional do programa Leite pela Vida”, disse. Segundo Paulo Guedes, a ideia é aumentar dos atuais 22,9 litros para 55 litros/dia, por produtor.


Pagamento mensal

Outro assunto abordado durante o encontro foi o fechamento dos processos de pagamento do leite. O secretário Paulo Guedes garantiu que, a partir de agora, o pagamento de produtores rurais, laticínios e cooperativas será feito mensalmente e não mais quinzenalmente. A mudança atende a solicitação dos próprios fornecedores que reclamam que, com o fechamento quinzenal, aumentou a burocracia e o trabalho de todos os envolvidos no processo ficou mais difícil. Eles também afirmam que o modelo atual acarretou atrasos contínuos nos pagamentos, o que desestimulou grande parte dos produtores do programa.

Paulo Guedes também afirmou que, para melhorar o acompanhamento do trabalho dos laticínios e cooperativas, a Secretaria pretende recriar o Comitê Gestor do Leite. A iniciativa também vai ajudar na fiscalização dos pontos e na busca de soluções para eventuais problemas na entrega do leite.


Foto (crédito): Divulgação/Sedinor

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.