sábado, 14 de Março de 2015 07:12h

LIRAa em Mateus Leme atinge índice satisfatório

Situação ainda é de alerta contra a dengue. Em cinco bairros foram encontrados focos do Aedes aegypti, o transmissor da doença e da febre Chikungunya

O levantamento do índice de infestação de larvas do Aedes aegypti, LIRAa, o segundo realizado em Mateus Leme em 2015, confirmou a presença de focos do mosquito transmissor da dengue e da febre Chikungunya em cinco pontos do município. No centro da cidade, nos bairros Vale Verde, Central, Imperatriz e Bom Jesus, criadouros do inseto foram identificados e estão sendo exterminados pelos agentes de combate a endemias. Essa situação colocou parte de Mateus Leme em situação de alerta contra a doença.

Nos bairros que estão na linha debaixo da rodovia MG-050, região central da cidade, o índice de infestação larvária foi de 1,2%. Isso significa que a cada 100 imóveis vistoriados, pelo menos um foco de proliferação do mosquito foi encontro.

O resultado do LIRAa exigiu ação rápida. Por isso, o Centro de Zoonoses intensificou as estratégias de conscientização e, desde o início da semana, promove visitas às residências, locais que concentram cerca de 90% de todos os criadouros de Aedes aegypti identificados em Mateus Leme. “Vamos intensificar as estratégias de abordagem alertando de casa em casa a maneira correta de armazenar materiais inservíveis, como pneus e garrafas, mostrando como manter limpas e bem fechadas as caixas d’água e os cuidados necessários com objetos que armazenam água, como os pratinhos utilizados em vasos de flores”, afirmou Simone Batista Correa, mobilizadora da Secretaria de Saúde contra as forma de proliferação do inseto.

Em bairros como Nossa Senhora do Rosário, Vale dos Araçás, Planalto e Jardim das Mangabeiras e nas comunidades que estão localizadas acima da rodovia MG-050, o número de focos de proliferação da dengue é menos alarmante. Conforme o LIRAa, o índice de infestação nesta região é de 0,5%.

Resultado consolidado

A soma dos dois resultados assinala para uma situação tolerável. Conforme o mapeamento, o município atingiu um índice consolidado de 0,8% no total de criadouros identificados. Esse resultado (com percentual inferior a 1%) é considerado satisfatório pelo Ministério da Saúde e é melhor do que o apontado no último levantamento (1,1%), realizado em janeiro, que colocou o município em estado de alerta contra a dengue.

Para realizar o LIRAa, foram inspecionados 868 imóveis, número superior ao total de vistorias programadas, que era de 857 visitas.

Mais ação

O mapeamento apresentado pelo LIRAa, além de identificar as criadores predominantes, indica a situação de infestação do mosquito no município, o que facilita o direcionamento das ações de controle para as áreas mais críticas. Reflexo imediato do resultado apresentado pelo levantamento são as estratégias que já estão sendo adotadas pela Secretaria de Saúde de Mateus Leme para combater as formas de proliferação do Aedes aegypti.

Conforme informou o Centro de Zoonoses, durante esta semana há previsão de aplicação UBV, o conhecido fumacê, em bairros como Consensa e Londrina. A dissipação do remédio pelas ruas dependerá apenas das condições climáticas, já que, chuva e ventos fortes impedem a eficácia da aplicação.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.