terça-feira, 30 de Dezembro de 2014 10:00h

Mais de 1.900 escolas estaduais que ofertam o Ensino Médio terão novos computadores

Instalação dos equipamentos é feita pelos Núcleos de Tecnologias Educacionais das regionais de ensino. Investimento do Estado é superior a R$ 32 milhões

A partir do ano letivo de 2015, as escolas que ofertam o Ensino Médio pela rede estadual de ensino contarão com mais recursos tecnológicos para a prática pedagógica. A ampliação dessas possibilidades de trabalho com os alunos ganha escala com os 23,3 mil novos computadores que começam a chegar aos laboratórios de informática das 1.915 escolas estaduais que ofertam os três últimos anos da Educação Básica. A aquisição de novas maquis representa um investimento de R$ 32,4 milhões da Secretaria de Estado de Educação (SEE).

A instalação desses equipamentos é feita por técnicos da educação que trabalho nos Núcleos de Tecnologias Educacionais (NTEs) das 47 Superintendências Regionais de Ensino. “Assim que recebe os computadores, a escola entra no Sistema de Controle Entrega de Equipamentos (Syscomp) para confirmar o recebimento. Depois, o diretor deve abrir um chamado no sistema ‘Escolas Conectadas’ para solicitar a instalação dos equipamentos”, conta o coordenador do NTE da Superintendência Regional de Ensino Metropolitana C, Marcos Welleson Marzagão.

Cada escola recebe uma média de 12 computadores que contam com o Linux Educacional 5.0, do Governo Federal. Essa versão do software livre possibilita às escolas um maior uso das tecnologias educacionais a partir de aplicativos e recursos de interface e de interação. “Além da montagem, a instalação dos aparelhos consiste em verificar se as máquinas apresentam algum dano, se estão funcionando bem e fazem a conexão com a internet”, explica o coordenador.

Mais tecnologia, mais aprendizado

Entre as escolas que já receberam os novos computadores está a Escola Estadual Ari da Franca, em Belo Horizonte. Para o diretor da instituição que conta com 2,7 mil alunos dos anos finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio, as novas máquinas irão possibilitar uma melhor prática pedagógica a partir do próximo ano letivo. “Os meninos já estão totalmente inseridos na tecnologia e a escola tem que acompanhar e também se inserir também. Não tem como você dar uma aula sem que tenha um computador. Com as novas máquinas, nós poderemos fazer um atendimento individualizado”, avalia Igor de Alvarenga Oliveira.

A escola iniciou sua participação no Reinventando o Ensino Médio em 2014 ofertando as áreas de empregabilidade de Empreendedorismo e gestão, Turismo e Tecnologia da Informação. “Vai melhorar os recursos, porque os computadores vão ser melhores e com isso vai ficar mais fácil para poder estudar”, avalia a estudante do 1º ano, Jéssica Franze Lorena Gregório.

Assim como Jéssica, Robson Porto Santos Júnior também é aluno de TI. Para ele, os novos equipamentos irão beneficiar não apenas as aulas dos alunos que participam do Programa. “Os novos computadores não representam o desenvolvimento dos alunos apenas dentro da escola, mas como um todo. Hoje, a internet é um instrumento importante para tudo que o estudante vai fazer”, explica Robson Porto Santos Júnior.

Fase piloto

No ano de 2013, as 133 escolas que fizeram parte da fase-piloto de implantação do Reinventando, receberam, cada uma, 20 computadores para equipar seus laboratórios de informática. Nas 11 escolas onde foi implantado inicialmente o Reinventando, em 2012, foram investidos R$ 272.369,00 e nas 122 que passaram a integrar o Programa em 2013 foram investidos R$ 3.184.614,80.

Em 2013, além das escolas que já contavam com o Reinventando, também foram equipadas com computadores outras 194 escolas de Ensino Médio, que na época iniciavam os trabalhos no Pronatec. Desta forma, foram atendidas 316 escolas em 2013, com um total de investimentos de R$8.248.674,40.

Laboratórios móveis

Com um investimento de R$ 35.095.976,00, a Secretaria de Estado de Educação (SEE) possibilitou a todas as escolas da rede a aquisição de computadores para serem utilizados pelos alunos. As escolas que ainda não têm laboratório de informática receberam neste mês de dezembro, via caixa escolar, a verba para comprar 1.058 laboratórios móveis. São gabinetes com 20 netbooks para alunos e um notebook para o professor, que serão direcionados para a sala de aula. Outros R$ 11.782.500,00 serão investidos no fundo de manutenção de computadores. 3.142 escolas receberam a segunda parcela desse fundo. Esse número representa todas as escolas que já haviam recebido a primeira parcela.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.