segunda-feira, 25 de Junho de 2012 09:31h Gazeta do Oeste

Marcha contra o crack reúne milhares de pessoas

A marcha contra o crack e outras drogas, evento de iniciativa da Assembleia Legislativa de Minas, realizada sábado, atraiu, segundo estimativa da Polícia Militar, cerca de 15 mil pessoas.

A marcha contra o crack e outras drogas, evento de iniciativa da Assembleia Legislativa de Minas, realizada neste sábado (23/6/12), atraiu, segundo estimativa da Polícia Militar, cerca de 15 mil pessoas. Estudantes, deputados estaduais, federais, prefeitos da Região Metropolitana, vereadores de Belo Horizonte, líderes religiosos católicos e evangélicos, e entidades da sociedade civil participaram do evento, que começou ao lado do Colégio Estadual Central, no bairro de Lourdes, em Belo Horizonte e teve prosseguimento na Praça da Assembleia, no Santo Agostinho, com exibições artísticas e momentos de oração.

 

 

Na início da marcha, o presidente Dinis Pinheiro saudou os presentes dizendo "vamos ajudar às pessoas que entraram pelo caminho errado a encontrar de novo o caminho da vida, da dignidade, da alegria". Ele enfatizou a necessidade de união de esforços em torno do combate às drogas. "O poder público não consegue fazer nada sozinho, precisamos de toda a sociedade", afirmou.

 

 

Na praça, houve manifestações de várias  autoridades, como o subsecretário de Estado de Políticas sobre Drogas, Cloves Benevides. Ele afirmou que o governo do Estado assumiu um compromisso de investir mais no combate às drogas. "Não podemos sucumbir às drogas. A sociedade civil vai reassumir o controle de suas vidas". Jovens do Programa Educacional de Resistência às drogas e à Violência (Proerd), conduzido pela Polícia Militar de Minas Gerais, animaram a Marcha tocando instrumentos de percussão. Os jornalistas Carlos Viana, Mônica Miranda e Eduardo Costa conduziram o evento.

 

 

Támbém participaram da Marcha dezenas de organizações não governamentais, como as Mães de Minas, que carregavam faixas com os dizeres "O crack matou meu filho, não deixe ele matar o seu também". Diversas comunidades terapêuticas que lidam com a recuperação de usuários de drogas em todo o Estado estiveram representadas na Marcha.

 

 

Shows artísticos e de fé animam os presentes

 

 

"Sempre existe uma saída pra mudar a sua vida": essa foi uma das frases cantadas em coro pelo público que assistiu a apresentação da Banda Dominus, banda católica de Belo Horizonte, com 23 anos de formação. Outros refrãos como "Vem me abraçar, vem me curar, meu Deus, contigo não estou sozinho" deram o tom dos shows, que enfatizaram o valor da fé e dos valores cristãos no combate às drogas. "Acredite: você não precisa de droga pra ser feliz", disse o vocalista da Banda, Léo Rabello,  aos jovens presentes.

 

 

O público também acompanhou apresentações de Rap, cujas letras enfatizavam a luta contra a dependência química  "o vício é um beco sem saída", disse o rapper Fábio. "A gente é que escolhe o caminho que vai trilhar" dizia uma das canções do Grupo de Rap Ergon, de Nova Contagem.

 

 

O cantor André Valadão, da Igreja Batista da Lagoinha, conduziu orações e conclamou as pessoas a orarem pela restauração dos viciados em crack e outras drogas.  "A muralha do crack é imensa, mas com a nossa fé, vamos derrubá-la", disse ele.

 

 

Antônio Carlos Rocha, pai dos "Rocha Brothers", grupo de três crianças que cantam versículos bíblicos, enfatizou: "A luta contra as drogas começa cedo, dentro de casa, com o ensino dos nossos filhos. Gaste tempo com a sua família, ensine o caminho certo desde cedo".

 

 

O deputado federal Eros Biondini, que também é cantor e se apresentou no encerramento do evento, contou que teve um envolvimento com as drogas quando tinha 17 anos, mas foi recuperado a tempo, com ajuda de comunidades terapêuticas cristãs. "Graças a Deus, na época ainda não havia o crack, então, foi mais fácil eu me livrar", disse Eros. Hoje ele é um dos líderes da Renovação Carismática Católica em Minas Gerais.

 

 

O presidente da Federação das Comunidades Terapêuticas do Brasil, pastor Welington Vieira cobrou, do poder público, a abertura de vagas no sistema público de saúde para atender aos dependentes químicos em tratamento. Ele anunciou que, na terça-feira (26/6), as comunidades estarão participando de uma marcha contra o crack em Lagoa Santa. Segundo ele, o objetivo é estimular a realização da marcha em todos os municípios mineiros. "Este ano tivemos 15 mil pessoas, ano que vem queremos no mínimo 30 mil participantes aqui em Belo Horizonte", afirmou.

 

 

Parceria - A Marcha conta o Crack e outras Drogas foi realizada pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais com a parceria do Governo do Estado, da Prefeitura de Belo Horizonte e de mais de 30 entidades ligadas ao combate às drogas.

 

 

 

 

ALMG

marcha, contra, crack, reune, milhares, pessoas

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.