terça-feira, 27 de Janeiro de 2015 10:45h

Mateus Leme em situação de alerta contra a dengue

Índice LIRAa de infestação do Aedes Aegypti identifica foco do mosquito em três bairros

O levantamento do índice de infestação de larvas do Aedes Aegypti, o LIRAa, concluído este mês, confirmou a presença de focos do mosquito transmissor da dengue em três bairros de Mateus Leme. No centro da cidade, no Jardim Serra Azul e no bairro Vila Suzana, cinco criadouros do inseto foram identificados e estão sendo exterminados pelos agentes de combate a endemias. O resultado colocou o município em situação de alerta contra a doença.

Conforme o LIRAa, em Mateus Leme o índice de infestação larvária para o mês de janeiro é de 1,1%, resultado quase satisfatório se levado em consideração que o percentual aceitável, segundo o Ministério da Saúde, é de até 1%. “A Prefeitura está criando condições de identificar com antecedências as áreas de risco e agir preventivamente contra a dengue e a febre Chikungunya. O LIRAa é um instrumento para nortear as ações da Secretaria de Saúde, que tão logo recebeu o diagnóstico do município e já apontou ações de combate e controle da doença”, afirmou a coordenadora municipal de vigilância em Saúde, Lucélya Nunes de Souza.

Nos bairros onde foram identificados os focos do Aedes Aegypti, agentes de combate a endemias realizaram um mutirão de limpeza. O objetivo da ação foi eliminar possíveis criadouros e objetos que retém água e ajudam na proliferação dos insetos, informar a população sobre a maneira correta de armazenar materiais inservíveis como pneus e utensílios descartáveis como garrafas e plásticos, além de orientar sobre a importância de manter os quintais e varandas sempre limpos. Conforme o LIRAa, 90% dos focos do mosquito transmissor da dengue foram encontrados em residências.

Para concluir o levantamento do índice de infestação de larvas do Aedes Aegypti, os agentes percorreram todos bairros da cidade e vistoriaram 869 imóveis, 13 a mais do que o previsto pelo Ministério da Saúde.

Com o resultado do LIRAa anunciado, as campanhas de mobilização social serão retomadas. Além da manutenção, varrição e limpeza periódica de ruas e lotes baldios em várias partes da cidade, a Secretaria de Saúde dará continuidade ao trabalho educativo e preventivo realizado nas escolas, juntos à crianças e adolescentes. “A população é nossa principal aliada na luta contra a dengue. É nossa função estimulá-la a agir contra o mosquito e garantir maneiras eficazes de prevenir a doença”, completou Lucélya.

Para evitar a proliferação do mosquito transmissor da dengue é preciso eliminar os lugares que eles escolhem para a reprodução. A regra básica é não deixar a água, principalmente limpa, parada em qualquer tipo de recipiente. Com a proliferação do mosquito é rápida, além das iniciativas governamentais, é importantíssimo que a população também colabore. Então, conheça algumas dicas:

- Não deixar a água se acumular em recipientes como, por exemplo, vasos, calhas, pneus, cacos de vidro, latas e etc.
- Manter fechadas as caixas d’água, poços e cisternas
- Não cultivar plantas em vasos com água. Usar terra ou areia nestes casos.
- Tratar as piscinas com cloro e fazer a limpeza constante. O ideal é deixá-las cobertas ou vazias quando não for usar por um longo período.
- Manter as calhas limpas e desentupidas
- Avisar um agente público de saúde do município caso exista alguma situação onde há o risco de proliferação da doença.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.