terça-feira, 6 de Agosto de 2013 13:37h

Minas busca parceria japonesa para expandir produção de vinhos finos

Minas Gerais quer desenvolver seu potencial como produtor de vinhos e de uvas de mesa com a colaboração dos japoneses. A parceria foi proposta ao vice-governador da província de Yamanashi, Wataru Hiraide, durante encontro realizado nesta terça-feira (6),

Minas Gerais quer desenvolver seu potencial como produtor de vinhos e de uvas de mesa com a colaboração dos japoneses. A parceria foi proposta ao vice-governador da província de Yamanashi, Wataru Hiraide, durante encontro realizado nesta terça-feira (6), na Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, em Belo Horizonte. De acordo com o secretário adjunto da Agricultura, Paulo Romano, a visita de Wataru e integrantes do governo da província foi realizada no contexto do aniversário de 40 anos do acordo de irmandade entre Minas e Yamanashi, maior produtor de vinhos do Japão.
O intercâmbio de informações, segundo Romano, será feito por intermédio da Epamig, vinculada à Secretaria da Agricultura, e da Fapemig. “A cooperação terá ênfase na pesquisa para aprofundar o conhecimento das condições de produção de vinho no Estado por intermédio dos especialistas japoneses que têm conhecimentos avançados em biotecnologia e fermentação.”
Como ponto de partida, estudos realizados pelo Núcleo Tecnológico de Uva e Vinho da Epamig possibilitaram a introdução da dupla poda em 150 hectares de vinhedos de Minas, que garante safra inclusive no período de seca. “Queremos ampliar a cooperação com Yamanashi, maior produtor de vinhos do Japão, para agregar outros conhecimentos que possibilitem grandes safras de  uvas para vinhos de alta qualidade”, enfatiza.
Cenário favorável
O presidente da Ruralminas, Luiz Afonso Vaz de Oliveira, fez uma exposição sobre a etapa 2 do Projeto Jaíba, implantado no perímetro de irrigação do São Francisco, no Norte de Minas, com financiamento japonês e contando ainda hoje com a cooperação técnica da Jica (sigla da Agência Japonesa de Cooperação Internacional). Um dos pontos da exposição foi o potencial de produção do projeto, que já alcança cerca de 1,3 milhões de toneladas anuais de alimentos.
Já o coordenador do Núcleo Tecnológico Epamig Uva e Vinho, Murillo Albuquerque Regina, ressaltou que, com ajuda da pesquisa realizada pela empresa, Minas tem condições de ser um polo diferenciado de produção de vinho de qualidade. O Estado conta com uma área cultivada de aproximadamente mil hectares de videira divididos em dois polos distintos, um ao Norte, no vale do Rio São Francisco voltado para produção de uvas de mesas em condição tropical com videiras europeias e americanas do tipo Niagara. O segundo polo está situado nos municípios de Caldas e Andradas, no Sul de Minas, onde se cultiva basicamente as videiras americanas voltadas para a produção de suco de uva e vinhos de consumo corrente (de garrafão).
“Em todo o país, existem apenas 90 mil hectares de vinhedos, sendo 90% dos vinhos procedentes da região Sul. Este cenário precisa mudar, porque o consumo de vinho no Brasil, que era de 2 litros/pessoa em média, está aumentando e atualmente são atendidos com produção própria da bebida apenas 15% da demanda”, enfatizou o pesquisador.
Comitiva de Yamanashi
Além do vice-governador Wataru Hiraide, participaram da reunião na Seapa os seguintes integrantes do governo da província de Yamanashi: Hiroshi Sano, diretor chefe do Departamento de Relações Internacionais; Katsuya Hada, chefe-adjunto do Departamento de Relações Internacionais; Kenichiro Amemiya, assessor do Departamento de Relações Internacionais.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.