quarta-feira, 12 de Março de 2014 10:36h Atualizado em 12 de Março de 2014 às 10:37h.

Minas firma convênio para criação de Rede de Pesquisa e Prevenção do Câncer da Mulher

Acordo foi assinado pela Sectes, SES e Fundação Ezequiel Dias durante a inauguração de um centro de tratamento e pesquisa do câncer, em Belo Horizonte.

O Governo de Minas, por meio das secretarias de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e da Saúde, está desenvolvendo mais uma ação de  prevenção, controle e cuidado às pessoas com diagnostico de câncer no Estado. Em solenidade nesta terça-feira (11), o secretário da Sectes, Narcio Rodrigues, o secretário-adjunto da SES-MG, Wagner Ferreira e representantes do Instituto Mário Penna inauguraram o Centro de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (CACON), para atendimento a pacientes de baixa renda.

Durante o evento, o presidente da Fundação Ezequiel Dias (Funed), Francisco Tavares, o secretário-adjunto da SES-MG, Wagner Ferreira, e o secretário da Sectes, Narcio Rodrigues, assinaram uma resolução conjunta para instituição da Rede de Pesquisa e Prevenção do Câncer da Mulher (RPPCM). A rede tem como objetivo proporcionar a Inovação e o Desenvolvimento Tecnológico em Saúde Pública, na área de câncer da mulher, através da pesquisa científica, para atender as demandas do Sistema Único de Saúde.

“Participei dessa discussão ainda enquanto secretário-adjunto na Secretaria de Estado e, hoje, estou muito feliz com a concretização dessa parceria e com a posição signatária da Funed numa resolução conjunta desse porte. É fundamental que a Funed, sobretudo em função do corpo técnico qualificado que possui, exerça papel de liderança nas pesquisas no âmbito do SUS mineiro”, afirmou Tavares.

O canal entre o novo centro e os pacientes com câncer se dará por meio das unidades de saúde do Estado. Os resultados de cada pesquisa serão apresentados ao governo que, por sua vez, poderá aplicar às pessoas atendidas. Além do tratamento, o centro, que funcionará no Hospital Mário Penna e tem responsabilidade social e filantrópica, vai estimular iniciativas de pesquisa e ensino sobre a doença.

O Centro de Pesquisa

Instalado em uma área de aproximadamente 400 metros quadrados em prédio anexo do Hospital Luxemburgo, no bairro do mesmo nome, o Centro de Pesquisa Mário Penna contará com espaço para pesquisas básicas, epidemiológicas e clínicas sobre o tema. “Investimos cerca de R$ 6 milhões na reforma e na compra de equipamentos. Parte do valor é do próprio Instituto e outra foi adquirida por meio de um convênio com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior”, afirmou Paolla Perdigão, diretora geral do Centro de Pesquisa.

Somente para a aquisição de equipamentos e estruturação do laboratório de biologia molecular, foram investidos R$ 2 milhões pelo Governo de Minas, também por meio da Sectes e da Fapemig. A tecnologia vai beneficiar pacientes com câncer do SUS atendidos nos hospitais do Instituto Mário Penna. O laboratório possui tecnologia de ponta e é dividido em três áreas principais de pesquisa, epidemiologia, pesquisa básica e pesquisa clínica.

De acordo com o Hospital, a linha da primeira pesquisa a ser desenvolvida no local já está definida. Dando continuidade a um estudo da rede nacional de pesquisa clínica em campo, do Ministério da Saúde, os pesquisadores vão se debruçar sobre o câncer de pulmão. Estudos sobre câncer de mama e de colo de útero – os mais comuns entre as mulheres – também serão priorizados.

O secretário Narcio Rodrigues ressaltou a importância do novo espaço. “O desenvolvimento científico só tem sentido se for voltado para o bem da sociedade e para serviço do homem. Queremos que o Centro se torne referência para a rede estadual que iremos constituir para prevenção e pesquisa em soluções para o tratamento do câncer”, afirmou.  Ele lembrou outras ações da Sectes que fomentam a desenvolvimento de soluções tecnológicas para facilitar a vida das pessoas, como o Centro de Desenvolvimento e Transferência de Tecnologia Assistiva (CDTTA).

A solenidade teve também as presenças do do secretário adjunto da Sectes, Vicente José Gamarano, do presidente do Conselho Deliberativo do Instituto Mário Penna, Osmânio Pereira, do diretor geral Hospitalar do Instituto, Carlos Ferreira, e do gestor da Rede Nacional de Pesquisa Clínica em Câncer e representante da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Carlos Gil Ferreira.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.