segunda-feira, 4 de Junho de 2012 10:27h Gazeta do Oeste

Minas Gerais alcança a meta de vacinação

Minas Gerais atingiu nesta sexta-feira (01) a meta de vacinação contra a gripe estipulada pelo Ministério da Saúde. Segundo dados do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI), relativos a 14ª Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe, o Estado alcançou uma cobertura geral de 80,43% de imunizados. Porém, o grupo de gestantes, com 70,11% de imunizção, deve buscar uma unidade de saúde mais próxima para garantir a proteção contra a doença. Conforme orientações do ministério, a meta em Minas Gerais é vacinar 2.471.185 pessoas, o que corresponde a 80% do público alvo da campanha.

 

A campanha anual de vacinação tem contribuído, ao longo dos anos, para a prevenção da gripe nos grupos imunizados, além de apresentar redução das internações hospitalares, mortalidade evitável e gastos com medicamentos para tratamento de infecções secundárias.

 

“Nosso objetivo é proteger a parcela da população que corre mais risco de ter a doença na forma mais grave”, afirma a coordenadora estadual de Imunização da Secretaria de estado da Saúde (SES), Tânia Brant.

 

A doença

 

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. É de elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém contaminadas por secreções respiratórias podem levar o agente infeccioso direto à boca, aos olhos e ao nariz.

 

As infecções respiratórias agudas constituem um conjunto de doenças frequentes e tem maior incidência em pessoas com idade superior a 60 anos e crianças, sendo o vírus da influenza um dos principais agentes etiológicos destas doenças.

 

Sintomas e tratamento

 

Os sintomas da gripe, muitas vezes, são semelhantes aos do resfriado, que se caracterizam pelo comprometimento das vias aéreas superiores, com congestão nasal, rinorréia (secreções pelo nariz), tosse, rouquidão, febre variável, mal-estar, mialgia (dor muscular) e cefaleia (dor de cabeça).

 

A maioria das pessoas infectadas se recupera dentro de uma a duas semanas sem a necessidade de tratamento médico. No entanto, nas crianças muito pequenas, idosos e portadores de quadros clínicos especiais, a infecção pode levar a formas clinicamente graves, pneumonia e morte.

 

Prevenção

 

A prevenção ainda é a maior arma contra a propagação da Influenza e as medidas são simples:

 

- Lavar as mãos com água e sabão;

 

- Evitar tocar a boca, olhos e nariz sem lavar as mãos;

 

- Seguir a etiqueta respiratória – utilizar lenços de papel descartável para cobrir o nariz e a boca ao tossir ou espirrar (caso não haja lenço de papel, tossir ou espirrar contra o braço);

 

- Não reutilizar lenços de papel e evitar o uso de lenços de pano;

 

- Evitar compartilhar utensílios e alimentos, inclusive toalha de rosto;

 

- Manter portas e janelas sempre abertas para a boa circulação do ar;

 

- Manter disponível sabonete, álcool gel e papel toalha.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.