quinta-feira, 10 de Março de 2011 00:00h

Minas Gerais é o melhor Estado do sudeste em português e matematica

Minas Gerais é o Estado do sudeste que possui o maior número de alunos de 5º e 9º ano do ensino fundamental com conteúdo adequado à sua série, segundo o relatório de monitoramento de metas da ONG Todos Pela Educação.

Quase 50% dos alunos do 5º ano (4ª série) mostraram desempenho suficiente em matemática – foram 49,6% frente a 45,6% de São Paulo e 40% do Espírito Santo e Rio de Janeiro. Em português, o rendimento foi acima da meta estabelecida – 51,5% para 45,7% esperado.

Já no 9º ano, os alunos se mostraram melhores em português e deixaram a desejar em matemática. Apenas 23,8% dos estudantes que concluíram a 8ª série apreenderam os conteúdos necessários da disciplina para ingressar no ensino médio.

O relatório mostra o Estado mineiro na liderança entre os seus vizinhos para atingir as metas educacionais estabelecidas pela ONG em parceria com o MEC (Ministério da Educação).

Mas essa liderança não significa números suficientemente bons. A velocidade do progresso na educação fundamental, assim como nos outros Estados do Brasil, é lenta em Minas. Segundo Priscila Cruz, diretora executiva do Todos Pela Educação, o Estado "está longe da meta, mas tem feito um bom trabalho”.

O ritmo da educação mineira segue o do Brasil - se o país continuar nessa velocidade, só vai ter 70% dos alunos com aprendizado adequado às suas séries em 2050, diz Priscila. Para acelerar o processo, o Todos Pela Educação apresentou suas cinco bandeiras baseadas nos resultados obtidos no relatório. Veja abaixo quais são:

- Alteração de currículo escolar;

- Valorização do professor;

- Responsabilização dos gestores dos investimentos na educação pelos resultados obtidos;

- Fortalecimentos das avaliações como indicadores;

- Melhorias na infraestrutura dos colégios.


Alfabetização

Mozart Ramos, presidente executivo do movimento, cita Minas Gerais como exemplo na alfabetização de crianças até nove anos.

- Costumamos dizer que em Minas toda criança tem um "chip" para saber se está sendo alfabetizada adequadamente. O Estado faz um trabalho belíssimo, um dos mais importantes. E não á à toa que os níveis de aprendizagem de lá vêm melhorando consistentemente.

A responsabilidade por esse crescimento, segundo Mozart, é a parceria da Secretaria Estadual de Educação com as secretarias municipais mineiras. O monitoramento do rendimento dos alunos por indicadores das cidades e do Estado facilita o ritmo em busca das metas.

Por isso, ele defende a aplicação de um indicador nacional de alfabetização infantil para crianças de até nove anos em todo o país. O exame, estudado pela ONG e pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), pode ser aprovado para fase pré-teste ainda neste semestre;

Fonte : Agencia Minas

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.