quarta-feira, 2 de Março de 2011 00:00h

Minas Gerais vai ganhar centro de pesquisa de trigo em Uberaba

Minas Gerais irá ganhar um Núcleo Avançado de Pesquisa de Trigo Tropical. O núcleo irá funcionar em Uberaba, no Triângulo Mineiro, com o objetivo de desenvolver cultivares e sementes adequadas ao plantio no Cerrado, estudar tecnologias para a condução da lavoura e fornecer todo o suporte técnico necessário à expansão do trigo.

Nos próximos meses, a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa) vai assinar termo de cooperação técnica com a Embrapa Trigo e a Epamig para a instalação do núcleo, numa fazenda de 96 hectares.

O centro de pesquisa é a continuação das ações que vêm sendo executadas pela câmara setorial do trigo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para a criação de um polo de produção da cultura nos estados do Brasil Central.

A proposta de criação de um novo polo produtor no país foi apresentada ao governo federal por meio do Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Trigo de Minas Gerais (Comtrigo), desenvolvido pela Seapa. O objetivo é estimular o potencial da região de Cerrado para produção de trigo, e reduzir a dependência que o país tem das importações, especialmente da Argentina, de onde vêm 90% do trigo consumido.

“É uma atividade que estamos implantando em Minas Gerais para ampliar nosso leque de produção de grãos, oferecendo novas alternativas para o produtor mineiro”, afirma o secretário de Agricultura de Minas Gerais, Elmiro Nascimento.

Segundo o coordenador do Comtrigo, Lindomar Antônio Lopes, o país vive um paradoxo em relação à cultura. “Temos todas as condições de sermos um celeiro produtor de trigo, que é o segundo cereal mais consumido no mundo, mas apesar das condições favoráveis, somos um grande país importador”, afirma.

A partir deste mês, o grupo de trabalho do Ministério da Agricultura, coordenado por Lindomar Lopes, vai iniciar os contatos com as secretarias de Agricultura dos estados envolvidos (além de Minas, o Distrito Federal e os estados da Bahia, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul) para apresentação do projeto de implantação do novo polo produtor de trigo no país, e estabelecer parcerias com as entidades representativas interessadas no desenvolvimento do programa.

Outra meta do grupo de trabalho para a implantação do polo produtor de trigo tropical é a criação de contratos de fornecimento antecipado aos moinhos, que garantiria ao produtor a comercialização de sua produção, com base no preço de mercado. “Atualmente, o preço mínimo do trigo varia entre R$ 480 a R$ 540 a tonelada, mas o preço de mercado tem sido até superior. O produtor teria a comercialização garantida, por preços vantajosos”, analisa.

Trigo em Minas

Em Minas, a produção de trigo gira em torno de 100 mil toneladas por ano, enquanto o consumo estadual está estimado em 900 mil toneladas ao ano.

A cultura apresenta viabilidade técnica, econômica e competitividade para se expandir no Estado. “Em Minas, o trigo é cultura de inverno, plantado antes das culturais tradicionais de verão (milho e soja). Então, ele é uma excelente alternativa para a rotação de culturas, porque é plantado no intervalo”, explica o coordenador.

Outro ponto que favorece a produção mineira é que o Estado é privilegiado em termos de comercialização, pois o trigo é colhido na entressafra brasileira e argentina, encontrando um mercado comprador com preços mais competitivos.

A proximidade aos principais centros consumidores também é um facilitador, tornando a logística mais barata para a cadeia produtiva.

O Alto Paranaíba, o Triângulo e o Noroeste mineiros são as principais regiões produtoras do Estado, com uma produtividade em torno de 4 mil quilos por hectare, enquanto a produtividade nacional está em torno de 2,7 mil quilos por hectare. Segundo Lindomar Antônio Lopes, o Sul e o Norte de Minas também têm condições de desenvolver a cultura irrigada, com bons resultados.

Fonte : Agencia Minas

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.