quarta-feira, 13 de Fevereiro de 2013 09:28h CODEVASF

Ministro da Pesca visita reservatório de Três Marias, em Minas, com equipe da Codevasf

Acompanhado por uma equipe da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), o ministro da Pesca e Aquicultura, Marcelo Crivella, visita na próxima segunda-feira (8) o reservatório de Três Marias, no município de Morada Nova de Minas (MG), onde uma exitosa parceria entre a Companhia e o ministério para desenvolvimento do arranjo produtivo local de aquicultura já contabiliza a instalação de 1,7 mil tanques-rede, emprega cerca de 200 produtores familiares e registra uma produção de cerca de 2 mil toneladas de peixes ao ano.

“A parceria do Ministério da Pesca com a Codevasf está transformando o potencial da região em realidade quanto à produção piscícola, para que possa gerar renda, emprego e sustentabilidade ambiental”, afirma o diretor de Revitalização de Bacias Hidrográficas da Codevasf, José Augusto Nunes, responsável pelo trabalho da Companhia em arranjos produtivos locais e um dos integrantes da comitiva que acompanhará o ministro na visita.

A parceria do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) com a Codevasf no reservatório de Três Marias inclui a implantação de cinco parques aquícolas cuja produção tem potencial para atingir as 55 mil toneladas anuais de peixes. Além disso, no ano passado a Codevasf recebeu do MPA cerca de R$ 700 mil para certificar e acreditar o laboratório de limnologia do Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Três Marias; e outros R$ 677 mil para o monitoramento limnológico e de biologia pesqueira em áreas de influência dos parques aquícolas da represa de Três Marias.

Atualmente, existem culturas de peixes estabelecidas em sete dos oito municípios do entorno da represa de Três Marias, em Minas Gerais: Morada Nova de Minas, Felixlândia, Paineiras, Abaeté, São Gonçalo do Abaeté, Pompéu e Três Marias.

Numa parceria com o Ministério da Integração Nacional (MI), por meio da Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR), e com a prefeitura municipal, a Codevasf deu início, no ano de 2006, à implantação da Unidade de Beneficiamento de Pescado (UBP) de Morada Nova de Minas, para permitir a agregação de valor e a certificação sanitária do pescado produzido - facilitando a sua comercialização, gerando renda e empregos –, e ainda forneceu caminhão frigorífico para transporte dos produtos, tanques-rede, insumos, capacitação e assistência técnica.

Além disso, os produtores do entorno do reservatório contam hoje com a parceria da Credinova, Cooperativa de Crédito de Morada Nova, que acredita na atividade e tem financiado diversos projetos na região.

Iniciativa pioneira

“A primeira unidade demonstrativa de produção de tilápias em tanques-rede no reservatório de Três Marias, Morada Nova de Minas, foi implantada pela Codevasf em 2001 - uma iniciativa pioneira na região”, explica a gerente de Desenvolvimento Territorial da Companhia, Kênia Marcelino. Após o sucesso dessa ação, destaca ela, outros produtores ingressaram na atividade, impulsionando o aumento da produção e a organização desse arranjo produtivo local (APL).

Em função da implantação da unidade demonstrativa, foi criada a Associação dos Piscicultores de Morada Nova de Minas Gerais (Aspim). No ano seguinte, 2002, foi realizada a 1ª Feira do Peixe de Morada Nova de Minas (Fepemor), festa idealizada pela Codevasf e pela prefeitura municipal de Morada Nova de Minas. A feira tem importante papel na divulgação e mobilização da comunidade, bem como para visitantes de outras cidades. Esse evento vem sendo realizado até os dias de hoje, e está sua nona edição.

Centro de Recursos Pesqueiros

Na área da represa de Santa Maria, a Codevasf mantém o Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Três Marias, que tem entre suas principais atividades a execução de pesquisas em limnologia e ictiologia; o desenvolvimento de tecnologias de reprodução artificial, larvicultura e alevinagem de peixes nativos na bacia do rio São Francisco; a realização de peixamentos na região do Alto São Francisco com alevinos de espécies nativas; e a promoção de treinamentos a estudantes e graduados em biologia, medicina veterinária, engenharia de pesca, oceanografia, agronomia e zootecnia.

As pesquisas nas áreas de piscicultura, limnologia e ictiologia, realizadas no centro em parceria com diversas instituições de ensino e pesquisa propiciaram ao longo dos anos a publicação de centenas de trabalhos científicos, entre artigos em revistas nacionais e estrangeiras, livros, capítulos de livros, monografias, dissertações de mestrado, teses de doutorado, e resumos apresentados em congressos.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.