sábado, 28 de Março de 2015 07:43h Lorena Silva

Morte de professor em Nova Serrana pode ter sido a primeira causada por Febre Chikungunya em Minas Gerais

Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Divinópolis está investigando o caso

A Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Divinópolis está investigando a morte do professor do município de Nova Serrana, M. R., de 35 anos, cuja suspeita é de que tenha ocorrido devido à Febre Chikungunya. Caso confirmado, esse seria o primeiro caso de morte em consequência da doença no Estado. 
De acordo com o relato de um amigo, postado em uma rede social, o corpo do professor de Ciências Biológicas foi encontrado em sua casa, já sem vida, no final da tarde da última quinta-feira. Segundo a postagem, a principal suspeita era de que o professor – que também já lecionou no município de Bom Despacho - tivesse contraído a Febre Chikungunya.
Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES), o nome de M. R. não consta na lista de casos suspeitos nem confirmados de Febre Chikungunya – tanto em Minas Gerais quanto no Ministério da Saúde. Ainda de acordo com a SES, não há histórico de deslocamento para regiões onde há transmissão da doença e, até o momento, também não registros de qualquer exame que possa comprovar a doença.
“Segundo informações não oficiais, o paciente foi atendido em uma Unidade de Pronto Atendimento do município de Nova Serrana e o médico suspeitou de Febre Chikungunya em função das fortes dores musculares que o mesmo apresentava. Atualmente constam dois casos descartados de febre Chikungunya no município de Nova Serrana, ocorridos em 2014”, relatou a Secretaria.
De acordo com a SES, o processo de investigação do caso está em andamento e sendo conduzido pela Superintendência de Divinópolis e, assim que concluído, será devidamente divulgado.
CASOS DA DOENÇA
Em Minas Gerais, a Secretaria de Estado confirmou o primeiro caso de Febre Chikungunya deste ano no último dia 13. De acordo com a SES, uma mulher de 27 anos, moradora de Viçosa, na Zona da Mata mineira, adquiriu a doença na Colômbia. Outros seis casos foram descartados e cinco permanecem em investigação. No ano passado, 109 casos de Febre Chikungunya foram notificados em Minas. Do total, sete foram confirmados e outros 96 descartados.
O agente transmissor da Febre Chikungunya é o mosquito Aedes aegypti – o mesmo causador da Dengue – e o Aedes albopictus. Os sintomas da doença são semelhantes aos da Dengue, sendo eles febre acima de 39 graus, dores intensas nas articulações de pés e mãos (dedos, tornozelos e pulsos), dor de cabeça, dor nos músculos e manchas vermelhas na pele. Os sintomas aparecem de dois a dez dias após a picada do mosquito, podendo chegar a doze dias.

 

Crédito: Reprodução

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.