segunda-feira, 23 de Novembro de 2015 09:14h Atualizado em 23 de Novembro de 2015 às 09:16h.

Natal será das lembrancinhas

Artesãos mineiros apostam na venda de produtos criativos e com preços mais baixos para faturarem mais

Brasileiros devem gastar menos com presentes de Natal em relação ao ano passado. De acordo com a pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito  (SPC Brasil), o gasto médio com presentes será de R$ 106,94, valor 22% menor que em 2014. Pensando nisso, 400 artesãos mineiros apoiados pelo Sebrae Minas estão apostando em promoções e em peças com preços mais acessíveis para aumentarem as vendas e o faturamento no final do ano. Entre os dias 1º e 6 de dezembro, eles estarão expondo seus produtos na Feira Nacional de Artesanato, no Expominas, em Belo Horizonte.

Mesmo com o cenário econômico desfavorável, os consumidores não vão deixar de presentear no Natal. Porém, a opção deverá ser pelas lembrancinhas. “As pessoas irão comprar presentes que não comprometam o orçamento no final do mês e que não os endividem no próximo ano”, explica a analista do Sebrae Minas, Sabrina Campos.

No estande do Sebrae Minas os visitantes da Feira Nacional de Artesanato poderão encontrar várias opções de presentes feitas por  associações de artesãos do estado. Serão peças sacras, utilitários domésticos feitos com bagaço de cana, fibra de bananeira, cerâmica do Vale do Jequitinhonha, artigos decorativos em fibras vegetais, ferro, madeira, bordados, produtos têxteis e natalinos. “Peças contemporâneas, unissex, funcionais, criativas, que não ocupam muito espaço e com bom preço serão a preferência dos consumidores”, diz a analista do Sebrae Minas.

A artesã Daniele Drummond, que produz peças feitas em cerâmica em formato de cubas, potes e saladeira, está otimista. Para impulsionar as vendas ela fará promoções e irá expor mais peças que não ultrapassem o valor de R$ 100. “A saladeira que custava R$ 80, o cliente irá pagar R$ 40. A cumbuquinha colorida de R$ 35, sai a R$ 50 levando duas. São estratégias para aumentar as vendas e ainda deixar o consumidor satisfeito”, justifica.

Há nove anos, Daniele trabalha com o artesanato. Os produtos mesclam o rústico e o moderno, o colorido e o opaco, o liso e a textura, o brilhante e o fosco, e já são vendidos para São Paulo, Rio de Janeiro e estados do Nordeste do país. Ela ainda exporta para os Estados Unidos e França.

De acordo com a artesã, a expectativa é que a comercialização melhore no Natal, já que as vendas do ano foram cerca de 30% menor que 2014. “É um período difícil para todo mundo. A saída é reduzir o preço sem impactar na qualidade e design do produto”, afirma.
 

Top 100 de Artesanato

Neste ano, o Sebrae montou um estande na Feira Nacional de Artesanato para orientar os artesãos que ainda não se inscreveram no Prêmio Sebrae Top 100 de Artesanato.  Os interessados terão um espaço reservado com computadores e acesso a Internet. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas na hora. Informações: www.top100.sebrae.com.br .
 

26ª edição

A Feira Nacional de Artesanato é promovida pelo Instituto Centro Cape (ICCAPE). Neste ano, o tema será “Do Bronze ao ouro, do suor a superação, a alegria de um Brasil feito a mão”. A expectativa é que mais de 200 mil pessoas, visitem o evento, superando a marca do ano passado em que mais de 170mil pessoas participaram da feira.

Feira Nacional de Artesanato
1º a 6 de dezembro,
Expominas – Av. Amazonas, 6030 - Gameleira
Belo Horizonte/MG
Entrada: R$ 10
Informações: www.feiranacionaldeartesanato.com.br

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.