quinta-feira, 23 de Julho de 2015 13:36h

Negócios entre Minas Gerais e França devem movimentar R$ 500 milhões

Este foi o principal saldo da missão empresarial mineira, liderada pelo governador Fernando Pimentel, ao país europeu

A missão empresarial mineira na França, liderada pelo governador Fernando Pimentel, volta com perspectivas de investimentos da ordem de R$ 500 milhões no setor produtivo e políticas de desenvolvimento sustentável no estado. Os integrantes da comissão cumpriram uma extensa agenda de trabalho em Paris nesta terça-feira (21/7) e quarta-feira (22/7). Segundo o governador, o saldo final foi extremamente positivo.
“Foram dois dias intensos, apresentando o novo modelo de gestão do Estado, levando soluções para os problemas de cada região, em meio a um esforço para inserir Minas Gerais na economia do Século 21. A França é um parceiro estratégico do estado e temos a perspectiva de desenvolvermos uma relação profícua para os dois lados, com envolvimento do setor privado e foco na inovação, inclusão social e sustentabilidade”, afirmou.
A agenda envolveu reuniões com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) e com o Banco Público de Investimentos (BPI), além de um café da manhã empresarial na sede do Medef, a Confederação das Indústrias Francesas, e encontros bilaterais com empresas francesas interessadas em ampliar ou realizar investimentos em Minas Gerais.
Dentre os resultados de curto prazo, destaca-se a negociação de uma nova operação do Governo de Minas Gerais, por meio da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), a ser concretizada até o final do ano, permitindo investimentos da ordem de R$ 400 milhões a serem alocados em ações vinculadas ao desenvolvimento sustentável e eficiência energética.
"Esta nova operação gira em torno de 100 milhões de euros, encontra-se em estágio final de negociação e deverá ser aprovadas pelo board da AFD na próxima reunião, prevista para outubro, e assinada no marco da COP 21, em dezembro", disse o presidente da Cemig, Mauro Borges.
Outro objetivo da missão foi posicionar os investimentos do Governo de Minas Gerais, em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), para ampliar significativamente inserção do Estado na economia digital.
Nesse sentido, o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), Miguel Corrêa Junior, antecipou informações do programa Minas Digital, a ser lançado na próxima segunda-feira (27/7). O programa comtemplará ações de formação técnica e superior em tecnologia da informação (TI), além de democratizar o acesso ao programa de incentivo às empresas nascentes de TI (startups) para os 17 territórios de desenvolvimento do estado. Vai, também, ampliar os investimentos do governo nesse tipo de empresa, zelando para o desenvolvimento das mesmas e sua permanência no território mineiro.
O presidente da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemig), Marco Antônio Castello Branco, por sua vez, apresentou uma proposta ao Banco Público de Investimentos - BPI - para a criação de um fundo de investimentos em empresas de base tecnológica, com o objetivo de estimular parcerias entre empreendimentos mineiros e franceses. A meta é a internacionalização e ampliação de mercado e a troca de tecnologia de ponta, favorecendo setores como aeroespacial, de semicondutores e de biotecnologia em Minas Gerais.
“A proposta é que a Codemig invista 50 milhões de euros e o BPI outros 50 milhões, gerando um fundo espelho, ancorado pelo Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), com foco no desenvolvimento e internacionalização de empresas pequenas e médias, na esteira do acordo entre o governo brasileiro e o governo francês no campo da inovação", disse. De acordo com Castello Branco, o fundo poderia iniciar as operações já no início de 2016. A missão mineira retorna hoje ao Brasil.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.