sexta-feira, 21 de Novembro de 2014 07:01h

Nova associação de bananicultores de Delfinópolis quer o registro de Indicação geográfica para a banana produzida no município e região

A recém-criada Associação dos Produtores de Banana de Delfinópolis e Região (Adelba), no município de Delfinópolis, Sul do Estado, já começa a se mobilizar pelo registro de Indicação Geográfica para a banana, principal produto da agricultura local

A confirmação vem do extensionista da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), Sávio Marinho, que atua no escritório local. “Essa é uma tendência do mercado para exportar e atender critério de rastreabilidade do produto. E isso foi um dos motivos da fundação da associação. Já realizamos algumas reuniões para debater o início do processo”, informa.

De acordo com o Ministério da Agricultura (Mapa), o registro de Indicação Geográfica (IG) é conferido a produtos ou serviços que são característicos do seu local de origem, o que lhes atribui reputação, valor intrínseco e identidade própria, além de os distinguir em relação aos seus similares disponíveis no mercado. São produtos que apresentam uma qualidade única em função de recursos naturais como solo, vegetação, clima e saber fazer. A entidade que concede o registro e emite o certificado é o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

A Indicação Geógrafica pode ser de duas espécies ou modalidades: “Indicação de Procedência (IP)” e “Denominação de Origem (DO)”. São exemplos de produtos da agropecuária brasileira que já receberam Indicação Geográfica nas respectivas modalidades: o queijo produzido na região da Serra da Canastra, em Minas, e o arroz do Rio Grande do Sul, no Litoral Norte Gaúcho.

Atualmente a bananicultura é o principal componente do agronegócio de Delfinópolis. São 68 produtores que hoje cultivam uma área de 1.503 (ha) hectares da fruta, sendo 1.053 (ha) em produção e 450 (ha) em formação. O município ocupa o 4º lugar no ranking dos cinco maiores produtores do Estado e a estimativa é de fechar este ano de 2014 com uma produtividade média de 26 mil quilos por hectare e produção de 27.420 toneladas, no valor de R$ 27 milhões, segundo o extensionista Marinho.

A bananicultura foi implantada há 21 anos no município, por iniciativa de dez agricultores locais, com a ajuda de Emater-MG e Prefeitura. De acordo com Sávio Marinho, a atividade prosperou tanto nestas duas décadas que superou as demais, como a pecuária leiteira e de corte, e as culturas de cana, soja, milho e café.

Com a criação da associação dos produtores de banana, a atividade deverá ganhar novo impulso, segundo Marinho. “Já existe troca de informações entre os membros; compra e venda conjunta de insumos e da produção; fornecimento de serviços e articulação com outras entidades e poderes públicos, mas a partir de agora acredito que estas ações serão intensificadas”, argumenta o técnico da Emater-MG.

Marinho informa também, que a nova entidade representativa dos bananicultores de Delfinópolis e região tem 70 filiados. Quatro deles são do município vizinho de Cássia, onde cultivam 100 hectares da fruta.

Em todo Estado, a produção total de bananas é de 736 mil toneladas. O Jaíba é o maior produtor em Minas com 132 mil toneladas e área de 4.400 hectares. Os demais são Janaúba (2º), Nova Porteirinha (3º); Delfinópolis (4º) e Verdelândia (5º).

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.