quinta-feira, 17 de Março de 2011 00:00h

Nova estrutura melhora qualidade do trabalho da Fundação de Amparo à Pesquisa

Continuidade dos esforços em prol da Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) em Minas Gerais e consolidação do posicionamento estratégico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) para o Estado. Isso é o que representa a nova estrutura organizacional da Fundação, criada através das Leis Delegadas 180/182/11, decreto 45.536/11, que inclui novas assessorias, gerências e departamentos, além de reestruturar os já existentes.

“Esta nova estrutura foi demandada por três razões principais. A primeira foi o crescimento exorbitante da Fapemig nos últimos oito anos, já que nosso orçamento está 11 vezes maior. A segunda diz respeito à Lei de Inovação, que abriu portas para que a Fundação atuasse também no setor privado, nas áreas de tecnologia e inovação. Por último, a dimensão das duas razões anteriores abriu outro braço de atuação da Fapemig: o internacional”, explica o presidente da Fundação, Mario Neto Borges.

Somente nos últimos oito anos, a Fapemig recebeu 81% de todos os seus recursos. Naturalmente, o aumento reflete no número de projetos apoiados, bolsas concedidas e eventos financiados. Exemplo disso é o próprio orçamento 2010 da Fundação, que, mais uma vez, bateu o próprio recorde, chegando aos R$ 284 milhões. As parcerias com grandes empresas foram consolidadas por meio de editais lançados, projetos aprovados e eventos voltados especificamente para sanar dúvidas da comunidade científica.

Fiat, Whirlpool, Vale e Ci&T são alguns exemplos de empresas que lançaram editais em conjunto com a Fapemig em 2010, totalizando R$ 47 milhões em recursos. A internacionalização da Fapemig também ganhou formas mais robustas. No início do ano passado, o trabalho em torno do tema era incipiente, com visitas e diálogos ainda em estágio inicial. No fim do exercício, os resultados já eram visíveis, com parcerias firmadas, projetos aprovados e eventos realizados. Atualmente, já existem editais e projetos em andamento com Alemanha, Itália, França, Austrália e Inglaterra.

Nova Fapemig

Para este ano, em que a Fapemig comemora 25 anos de existência, a nova estrutura objetiva a execução dos três eixos em que a instituição atua - Ciência, Tecnologia e Inovação - de acordo com novas necessidades. Para dar suporte à presidência, foi criada a Chefia de Gabinete, à qual a Central de Informações está subordinada, e a Assessoria Científica Internacional, para tratar especificamente das parcerias e projetos internacionais.

A Diretoria Científica transformou-se em Diretoria de Ciência, Tecnologia e Inovação, considerando os três eixos de atuação da entidade. Ela recebeu duas assessorias de apoio - Assessoria Adjunta de Ciência e Assessoria Adjunta de Inovação - e também uma nova gerência: a de Inovação. Resultado direto da Lei de Inovação, a gerência vai cuidar diretamente das parcerias com o setor empresarial.

A Diretoria de Planejamento, Gestão e Finanças também recebeu duas assessorias adjuntas: a Assessoria Adjunta de Finanças e a Assessoria Adjunta de Planejamento e Gestão. A Gerência de Planejamento e Finanças foi desmembrada, tornando-se Gerência de Planejamento e Gestão e Gerência de Finanças. Essa área na Fapemig é diferente de outros órgãos do Estado, já que cuida da administração interna e também da gestão dos programas da Fundação, de onde parte a maior demanda. “Esta nova estrutura tem o objetivo institucional de colocar as peças do tabuleiro nos lugares certos. Com isto, vamos continuar executando nosso trabalho com qualidade e efetividade”, declarou o presidente.

Para conhecer o novo organograma da Fundação, acesse www.fapemig.br/institucional/organograma.

Fonte : Agencia Minas

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.