quinta-feira, 6 de Novembro de 2014 09:48h

Nova ferramenta tecnológica chega à rede estadual de ensino de Minas

Laboratórios e lousas digitais permitem aos educadores acessar práticas que poderão tornar as aulas mais interessantes

Em uma videoconferência realizada nesta quarta-feira (05/11), os 47 diretores das Superintendências Regionais de Ensino (SREs) foram apresentados aos laboratórios virtuais criados pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) em parceria com a Universidade de Viçosa. Três kits, que chegarão a todas as escolas da rede, foram entregues simbolicamente às diretoras das Superintendências Regionais de Ensino Metropolitana A, B e C – respectivamente, Elci Pimenta Santos, Maria de Lourdes Rodrigues Fassy e Desirée Renee Emmels de Souza. Um total de 4,2 mil laboratórios serão distribuídos. Esse número inclui todas as escolas, inclusive os segundos endereços.

Os laboratórios são pencards que, junto com a lousa digital, permitem aos educadores acessar práticas que poderão tornar as aulas mais interessantes ao possibilitar aos alunos vivenciarem na prática o conteúdo aprendido nas aulas. A iniciativa integra o Programa Ciência e Tecnologia na Educação, da Sectes com participação da Secretaria de Estado de Educação, que investe na qualificação de professores e alunos, oferecendo ferramentas para capacitação e suporte tecnológico para atender as necessidades em sala de aula.

Na ocasião, a secretária de Estado de Educação, Ana Lúcia Gazzola, destacou que as escolas estão equipadas para o uso desses laboratórios. “Esse é um projeto muito especial, porque nós ainda temos um número grande de escolas na rede estadual que não têm espaço físico para a instalação de um laboratório para ensino de Ciências. Como nós agora temos lousas digitais na maior parte das escolas, os professores de ensino médio já tem os tablets e anunciamos hoje a entrega de mais computadores para fazermos um upgrade nos laboratórios digitais de todas as escolas que têm o programa Reinventando o Ensino Médio, nós teremos todos esses equipamentos nos quais poderemos utilizar essas experiências virtuais para o ensino de Ciências”.

A subsecretária de ensino superior da Sectes, Liana Portilho Mattos, destaca o papel da nova tecnologia no processo ensino-aprendizagem. “Em uma iniciativa pioneira, os laboratórios virtuais vão propiciar uma aplicação bastante prática, com jogos e outras atividades, que vão levar a essa aproximação com os conteúdos pedagógicos, tentando, dessa forma, tornar mais atrativa a prática de ensino”.

Os pencards têm conteúdo para as aulas do ensino fundamental, com jogos e desafios educacionais baseados no conteúdo de Ciências. Para o ensino médio, os professores terão acesso a jogos e laboratórios de Química, Biologia, Matemática e Física. Foram incluídas também práticas laboratoriais de ensino superior.

Ana Lúcia Gazzola destaca que esse conteúdo voltado para o ensino superior foi incluído para os educadores da rede estadual. “Ele tem uma linguagem mais complexa e mais adequada ao professor. Então essas experiências que são para o ensino superior poderão ser utilizadas pelos nossos professores como uma formação continuada, uma atualização permanente, que, inclusive, vai prepará-los melhor para o uso da versão que é para os alunos”, afirma.

Atualização

As experiências e jogos presentes nos pencards que vão para as escolas agora poderão ainda ser atualizados pelos próprios professores. Segundo Gilberto Caixeta, coordenador da Universidade Aberta Integrada de Minas Gerais (Uaitec), foram criadas 195 práticas, mas são entregues agora 102. “Para baixar as outras práticas e atualizar as demais, o professor que tem o pencard no seu computador, coloca o pencard, vai no site do Uaitec e lá tem ‘atualização de pencard’. Ele clica ali e seu pencard será atualizada automaticamente”.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.