quarta-feira, 9 de Outubro de 2013 09:57h

Novos recursos garantem mais saúde à população da Zona da Mata mineira

Mais R$ 4 milhões foram destinados para construção de posto de saúde, farmácia popular e atendimento de urgência no município de Leopoldina

Os usuários da saúde pública da Zona da Mata mineira terão um serviço ainda melhor, graças ao anúncio de novos recursos para a região. Só para o município de Leopoldina foram destinados mais R$ 4 milhões para fortalecer o atendimento e garantir mais qualidade de vida à população. Em visita à cidade, o governador Antonio Anastasia assinou, nesta quarta-feira (9), três convênios para fortalecer a saúde pública da cidade e sua microrregião, que atende a uma população superior a 50 mil pessoas.

O governador assinou convênio com a provedora da Casa de Caridade Leopoldinense, Maria do Vale Pires, para repasse de R$ 2,92 milhões à instituição para reforma e ampliação do pronto-atendimento e Unidade de Tratamento Intensivo Adulto (UTI). O hospital fará parte da Rede de Urgência e Emergência Macro Sudeste. Também foram firmados convênio com a prefeitura para a construção de uma Unidade Básica de Saúde (UBS), no valor de R$ 986 mil, e de uma unidade do Farmácia de Minas, no valor de R$ 210 mil. Anastasia estava acompanhado do secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza.

“Os convênios têm por objetivo dotar o município de Leopoldina de melhores condições de saúde. Também está para ser inaugurada a sede do Consórcio Intermunicipal de Saúde, sendo que, aqui, terá uma unidade importante do Samu Regional. Sabemos que ainda vamos precisar de mais, porque a saúde tem uma demanda infinita. Por isso, estamos, ao longo dos últimos anos, aumentando de modo expressivo os recursos alocados para a saúde”, destacou o governador.

Na presença de autoridades, médicos, empresários e políticos da região, o governador ressaltou a importância da política de descentralização para garantir ações e recursos adequados para a melhoria do serviço. “É muito importante o fenômeno da descentralização. É impossível aos governos federal, estaduais e municipais, sozinhos, realizarem plenamente a política de saúde, que tem de ser totalmente integrada, contando muito com a participação da sociedade civil. Esse fenômeno da descentralização, de levar recursos aos municípios, tem sido nosso grande esforço”, completou.

Somente nesta quarta-feira, o Governo de Minas está liberando R$ 57,6 milhões para hospitais da Zona da Mata, por meio de convênio via Rede de Urgência: Macro Sudeste e Barbacena. Os convênios vão beneficiar unidades hospitalares de Além Paraíba, Barbacena, Carangola, Juiz de Fora, Leopoldina, Lima Duarte, Muriaé, Santos Dumont e Ubá.

Atendimento básico

Em seu pronunciamento, o prefeito de Leopoldina, José Roberto de Oliveira, disse estar surpreso com o montante de investimentos anunciados pelo Governo de Minas no município. “Fui pego de surpresa com a assinatura do convênio para a UBS e a Farmácia de Minas em Leopoldina. Eu contava apenas com a UTI do nosso hospital e do nosso pronto-socorro. A emoção ficou mais forte. Quero dizer que prometi lutar incansavelmente pela saúde do nosso povo. E essa parceria com o Governo do Estado está sendo fundamental para melhorar ainda mais o serviço público de saúde para nossa população”, agradeceu o prefeito.

As UBSs são locais para atendimentos básicos e gratuitos em pediatria, ginecologia, clínica geral, enfermagem e odontologia. Os principais serviços oferecidos pela UBS são consultas médicas, inalações, injeções, curativos, vacinas, coleta de exames laboratoriais, tratamento odontológico, encaminhamentos para especialidades e fornecimento de medicação básica.

Já a Rede Farmácia de Minas oferta gratuitamente à população, medicamentos para atenção primária, vinculados à prestação de serviços farmacêuticos, possibilitando uma integração maior com os outros serviços de saúde oferecidos no município e nas regiões do Estado. Minas já conta com mais de 500 farmácias distribuídas por todas as regiões do Estado.

Macro Sudeste

A Macrorregião Sudeste (Macro Sudeste) atende 94 municípios divididos em oito regiões de saúde (uma delas Leopoldina/Cataguases) com uma população de cerca de 1,6 milhão de habitantes. A região de saúde Leopoldina/Cataguases inclui os municípios de Argirita, Recreio, Itamarati de Minas, Laranjal, Palma, Santana de Cataguases, Dona Euzébia e Astolfo Dutra.

Na Macro Sudeste, a rede será gerenciada pelo Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Sudeste (Cisdeste), responsável pela organização do atendimento de urgência e emergência.

Instalação

A Rede de Urgência e Emergência é composta pelo Samu Regional, Atenção Domiciliar, Sala de Estabilização, UPA e hospitais Entre março e setembro de 2013, foram realizadas três oficinas sobre a Rede na região. Foram apresentados os conceitos da rede e a distribuição do Samu na Macrorregião Sudeste; discutidos os pontos necessários para o desenvolvimento e implantação de um modelo de atenção às urgências e emergências, e formados grupos de trabalho, respectivamente.

A princípio, a Rede vai ser composta por 21 hospitais, entre eles, um voltado para atendimentos de traumas; três hospitais para atendimentos a problemas cardiovasculares; e um para atendimentos de acidente vascular cerebral.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.