quinta-feira, 15 de Janeiro de 2015 10:35h

O emprego industrial caiu 4,5% em Minas Gerais e 4,7% no Brasil na comparação de novembro de 2014 com o mesmo mês de 2013

Na comparação entre novembro de 2014 e o mesmo mês de 2013 (resultado mensal), o emprego industrial apresentou queda de 4,5% em Minas Gerais e de 4,7% no país

No estado, esse é o 18º resultado
negativo consecutivo (desde junho de 2013) enquanto para o Brasil o resultado é o 38º resultado negativo
consecutivo nesse tipo de confronto. Houve redução nos quatorze locais pesquisados e o principal impacto
negativo sobre a média global foi observado em São Paulo (-6,1%), seguido por Minas Gerais (-4,5%),
Região Nordeste (-3,8%), Paraná (-4,8%), Rio Grande do Sul (-4,4%) e Região Norte e Centro-Oeste (-4,2%).
No índice acumulado nos onze meses de 2014, o emprego industrial do Brasil mostrou queda de
3,1%, com taxas negativas em treze dos quatorze locais, com destaque para São Paulo(-4,3%), seguido
pelo Rio Grande do Sul (-4,3%), Paraná (-4,3%), Minas Gerais (-2,7%),Região Nordeste (-1,9%), Rio de
Janeiro (-2,7%) e Região Norte e Centro-Oeste(-1,4%).
No resultado acumulado em 12 meses (anualizado), houve redução em todas as áreas
pesquisadas, com o resultado nacional fincando em -3,0% e com São Paulo se destacando mais uma vez
com queda de 4,1%. Em Minas Gerais a queda foi de 2,6%.
Os resultados da queda continuada do indicador anualizado para os últimos 18 meses para o
emprego e a produção física da indústria mineira podem ser vistos no gráfico 1.
No Brasil, em novembro de 2014, o total do pessoal ocupado assalariado na indústria mostrou
queda de 0,4% frente ao mês imediatamente anterior, na série livre de influências sazonais, oitava taxa
negativa consecutiva, acumulando nesse período perda de 4,3%. Esse resultado não é estimado para os
estados e regiões do país.
Demais variáveis para Minas Gerais
Conforme se pode observar nas tabelas 1 e 2, abaixo, no confronto de novembro de 2014 com igual
mês do ano anterior, o valor da folha de pagamento real caiu 2,5% em Minas Gerais (-5,6% no Brasil), e a
variação acumulada em 12 meses foi negativa tanto no estado quanto no país, atingindo -0,5 e -1,0%,
respectivamente.
A folha de pagamento real por trabalhador cresceu 2,1% em Minas Gerais e teve queda de 1,0% no
país enquanto os resultados acumulados em 12 meses mostraram um crescimento de 2,1% nas duas áreas.
O número total de horas pagas no estado apresentou quedas de 5,2% na comparação mensal e de
3,3% no resultado acumulado em 12 meses (-5,5% e -3,6%, no Brasil). 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.