segunda-feira, 4 de Novembro de 2013 11:15h

Obra do Governo de Minas garante tranquilidade a moradores de Pouso Alegre

Sistema de contenção de enchentes construído na cidade já dá resultados e população elogia impacto do empreendimento

Moradores de Pouso Alegre, no Sul de Minas, já sentem o impacto das obras do Sistema de Proteção contra Enchentes no rio Mandu, na zona sul da cidade. As obras foram visitadas pelo governador Antonio Anastasia na última sexta-feira (1º) e devem ser concluídas até o fim do ano. Construído pelo Governo de Minas, por meio da Companhia de Saneamento Básico (Copasa), o sistema é composto por diques de contenção das cheias no período de chuva, impedindo inundações nos bairros localizados nas áreas mais baixas da região.

Um desses bairros é o São Geraldo onde a população já comemora o fim das enchentes que atormentaram e deram prejuízos a muitos moradores por décadas. Esse ano, com as obras do dique já concluídas, a inundação não ocorreu.

Dona Maria de Lurdes Ferreira, de 51 anos, teve a casa invadida pelas águas diversas vezes e conta que o rio Mandu não inundou o bairro nas últimas chuvas. Ela conta que, pela primeira vez, pode dormir tranquila. Por causa das enchentes, Maria de Lurdes não tinha vontade de fazer melhorias na casa. Agora ela faz planos de reformas e até para a compra móveis novos. “Mas a minha alegria maior é poder trazer meus netos aqui. Antes eles não podiam dormir aqui porque eu tinha medo da enchente inundar tudo e eu não conseguir tirar eles a tempo”, conta com alegria.

“A construção dos diques trouxe alívio e até valorizou a nossa casa que antes ninguém queria comprar”, afirmou o carroceiro José Francisco de Paula. Morador antigo do bairro São Geraldo, ele é mais um na lista de pessoas que já perderam muito com as enchentes. Na lembrança das grandes inundações, ele aponta, na parede da casa, as marcas deixadas pela água. “A gente já sofreu muito aqui e essa obra é a melhor coisa que foi feita”, diz o carroceiro.

O diretor de operações da Copasa, Paulo Fernando Rodrigues, explica que no início do ano não houve problema de enchente na região porque o sistema de proteção já estava funcionando. A Copasa foi a responsável pela construção do Dique II e também pela avenida feita sobre essa barragem, que, juntas, compõem a maior obra de infraestrutura viária de Pouso Alegre.

Quando for aberta, a avenida Dique II sairá da rotatória do terminal rodoviário e seguirá para o bairro Cruzeiro, onde haverá interligação com a rua Major Armando Rubens Storino. Além da conclusão do dique no local, a Copasa construiu e pavimentou 2,4 mil metros de pista dupla (com oito metros de largura cada), um canteiro central, passeios, ciclovia e uma ponte de transposição sobre o rio Mandu, que unirá as duas pistas.

“A população de Pouso Alegre vai ganhar um sistema completo de controle de enchente na zona sul e um sistema viário que vai beneficiar o trânsito da cidade como um todo”, ressalta Paulo Fernando. O Governo do Estado, por meio da Copasa, investiu mais de R$ 23 milhões no empreendimento.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.