segunda-feira, 28 de Abril de 2014 07:29h

Operação da Semad investiga desmatamentos irregulares no Nordeste do Estado

Ação do Governo de Minas investiga desmatamento irregular de áreas do bioma Mata Atlântica na região de Teófilo Otoni, no Nordeste do Estado.

A operação resultou em doze pessoas presas, 52 notificadas, e apreensão de cinco motocicletas, carvão e lenha proveniente de mata nativa. Doze pessoas presas, 52 notificadas e centenas de hectares de áreas desmatadas localizadas são o resultado dos três primeiros dias da operação de fiscalização ambiental Macaco Muriqui. A ação do Governo de Minas investiga supressão irregular de áreas do bioma Mata Atlântica na região de Teófilo Otoni, no Nordeste do Estado.

Também foram apreendidas cinco motocicletas, carvão e lenha proveniente de mata nativa. A operação teve início no dia 22 de abril e reúne cerca de 60 pessoas do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) e das polícias Civil e Militar. O trabalho tem o apoio do Ministério Público Estadual.

Segundo o coordenador da operação, o diretor de Fiscalização dos Recursos Florestais e Biodiversidade da Secretaria de Estado de Meio Ambiente Desenvolvimento Sustentável (Semad), Bruno Zuffo, a maior parte das áreas desmatadas foi descoberta durante as buscas. “O ponto de partida da operação foram pontos indicados pelo monitoramento por satélite, mas durante a operação foram descobertos outros locais”, explica.

“O trabalho continuará, pelo menos, até a próxima semana quando serão fiscalizadas outras áreas e existe a expectativa da descoberta de novos desmatamentos ilegais”, explica Zuffo. “Os responsáveis pelas áreas fiscalizadas estão sendo notificados e serão autuados”, completa. O valor total das multas será conhecido no final da operação.

Nos seus primeiros dias, a ação esteve concentrada nos municípios de Teófilo Otoni, Novo Cruzeiro, Itaipé e Ladainha. A previsão é de que sejam percorridos os municípios que estão inseridos na Área de Proteção Ambiental Alto Mucuri que também incluem as cidades de Caraí, Catuji, Malacacheta e Poté.

O trabalho realizado pelas equipes que participam da operação Macaco Muriqui busca pontos indicados pela vigilância realizada pelo Sisema e pela organização não governamental SOS Mata Atlântica que, anualmente divulga dados sobre o desmatamento no bioma.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.