terça-feira, 28 de Agosto de 2012 15:13h Gazeta do Oeste

Oportunidade nos trilhos; Divinópolis larga na frente com o projeto do Centro de Excelência em Ferrovias

Depois de décadas estagnado, o setor ferroviário começa a dar sinais de retomada. E se agita diante do anúncio feito pelo governo federal, há 11 dias, de realização de parcerias com a iniciativa privada e investimentos de R$ 91 bilhões em ferrovias nos próximos 25 anos. O que significa, também, criação de empregos.
Com o pensamento nesse mercado em plena expansão, o Deputado Federal Jaime Martins (PR/MG), um entusiasta do transporte ferroviário, vem trabalhando nos últimos anos pela Criação do Centro de Excelência em Ferrovias, na cidade de Divinópolis, no centro-oeste mineiro. A iniciativa, que conta com a parceria do Ministério dos Transportes, Cefet/MG, Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF) e as principais concessionárias de ferrovia do estado, propõe transformar a cidade em um grande centro tecnológico e acadêmico do setor.

 


“Divinópolis é uma cidade que abriga uma unidade centralizada do CEFET-MG e que tem uma vocação natural para a ferrovia, tendo abrigado o maior centro, o maior complexo ferroviário da América do Sul. Então, estamos retomando a formação. Serão criados cursos técnicos em ferrovia e vamos retomar também o curso superior de engenharia e operações, o curso de mecatrônica. E vamos também progredir no sentido de pesquisas. Segundo a ANTF, as concessionárias do setor deverão abrir, só até 2014, pelo menos mais 7,1 mil vagas para o setor. E a expectativa, a projeção é de a partir daí que sejam oferecidas mais de 3,5 mil vagas por ano, o que beneficiará, principalmente, profissionais das diferentes engenharias, de logística e planejamento e gestão, além do pessoal de nível técnico. Mas, lado a lado com essa demanda vem a necessidade de qualificar mão de obra. E o nosso centro, irá fornecer mão de obra para esse mercado”, informa o Deputado Federal Jaime Martins.

 


Ainda segundo o parlamentar mineiro, a expectativa é de que o transporte sobre trilho possa resolver o grande problema brasileiro da mobilidade, tanto a mobilidade urbana como a mobilidade entre os principais centros do país. “Queremos transformar em realidade esse Centro de Excelência em Educação Ferroviária. Ele estará produzindo profissionais técnicos, engenheiros e pós-graduados, para fazer essa absorção dessa tecnologia, até em parceria com outros países e atender aos grandes desafios que o Brasil precisa hoje para se desenvolver no setor de transportes. Recentemente eu e um grupo de parlamentares brasileiros participamos do Encontro Econômico Brasil/Alemanha e visitamos à sede mundial do grupo ‘Deutsche Bahn’ (DB), para um Seminário sobre Sistema de Transporte de Passageiros. Essa visita é um desdobramento da visita que o Consultor de Desenvolvimento de Projetos da DB, Gustavo Gardini, fez ao nosso Campus do Cefet/Divinópolis. Ou seja, já estamos avançados em convênios e projetos para o intercambio de tecnologias e nossa expectativa é que ações e convênios específicos fomentem e qualifiquem ainda mais o nosso projeto ”, avalia.

 


Rodrigo Vilaça, presidente-executivo da ANTF, faz uma previsão sobre a década de investimentos que o setor ferroviário terá e a necessidade de mão de obra especializada. “Temos um horizonte de 10 anos de execução de obras, em que será necessário formar uma nova geração ferroviária, que saiba trabalhar com as novas tecnologias e equipamentos”, afirma. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.