quarta-feira, 10 de Junho de 2015 13:19h

Ouvidorias Regionais de Saúde estão presentes em 79% dos municípios mineiros

Cidadãos podem se manifestar sobre os serviços públicos de saúde nas unidades que estão presentes em 672 municípios do estado

As Ouvidorias do Sistema Único de Saúde (SUS) dos municípios do interior receberão curso de qualificação entre 3 a 7 de agosto.  Os ouvidores municipais passarão por uma reciclagem e a programação está em processo de formatação. A Ouvidoria-Geral do Estado (OGE) auxilia na implantação das ouvidorias no interior, prestando consultoria para instalação de novas unidades e no fortalecimento delas ofertando qualificação. Os municípios interessados devem procurar a OGE.
Hoje são 62 ouvidorias regionais em todo o estado, totalizando cobertura em 672 municípios, 79% do total de Minas. Nesses locais, os cidadãos podem registrar suas manifestações quanto aos serviços do SUS. O objetivo é incentivar cada vez mais essa descentralização.
Em 2014, foram realizadas mais de 40 capacitações para que as ouvidorias municipais possam gerenciar a ferramenta de registro de manifestações no sistema Ouvidor SUS. “A ouvidoria tem de estar perto de onde o cidadão está”, reforça a assessora técnica da Ouvidoria de Saúde do Estado, Mariana Magalhães.

Região Central
A Ouvidoria de Itabira, por exemplo, recebe demandas de 12 municípios da microrregião. De acordo com a ouvidora Nélia Cunha, foram feitas reuniões com prefeitos e secretários municipais para explicar a importância desse instrumento, além da produção de material informativo como banners, folders, cartazes e camisas para divulgar o serviço “A ouvidoria é ferramenta de gestão para ouvir o cidadão que agora tem na nossa cidade um lugar registrar suas manifestações pertinentes à saúde do município”, comenta Nélia.

Norte de Minas
A mesma estratégia será utilizada em Montes Claros para fortalecer a descentralização. A expectativa, de acordo com ouvidora de saúde Luciene Mussi França Nunes, é que os cidadãos de 11 municípios daquela microrregião procurem mais os serviços da célula a partir de uma ação de divulgação.

Sul de Minas
Na Ouvidoria do SUS de Varginha – que atende outros 4  municípios na microrregião – começa a perceber os efeitos desse fortalecimento. “Já está havendo uma melhoria do serviço público diante das manifestações. Em maio diminuiu a quantidade de reclamações”, afirma a ouvidora de saúde Eliane Aparecida Rocha, referindo-se a queixas na marcação de consultas do sistema municipal.
O atendente de farmácia Northon Kenned Guimarães, 28 anos, tentava há três meses marcar um horário com o ortopedista. O telefone para agendamento de consulta, segundo ele, sempre estava ocupado ou ninguém atendia. “Quando procurei a ouvidoria foi rápido. Eles me deram retorno em duas semanas”, contou.
Para a garçonete Elaine Helena Branco, 25 anos, também moradora de Varginha, a resposta após uma manifestação sobre marcação de consulta foi ainda mais ágil: “Fui na ouvidoria e com menos de dois dias resolveram pra mim”.
Estes são alguns exemplos do interesse do Governo em ampliar a comunicação com a comunidade. Para o ouvidor-geral, Fábio Caldeira, é de fundamental importância fortalecer o controle social.  “A OGE vem atuando de forma obstinada para efetivar as instâncias regionais com vistas a melhorar a prestação da política pública”, afirma.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.