Pagamento de pedágio com cartões avança na ALMG.

Comissão de Defesa do Consumidor também opinou pela aprovação de projeto sobre comércio eletrônico.

A Comissão de Defesa do Consumidor e do Contribuinte da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) aprovou, nesta quarta-feira (11/3/20), parecer de 1º turno favorável ao Projeto de Lei (PL) 3.102/15, do deputado Elismar Prado (Pros), que pretende fixar a possibilidade de pagamento da tarifa de pedágio por meio de cartão de débito ou de crédito. O relator, deputado Cleitinho Azevedo (Cidadania), apresentou o substitutivo nº 2, que promove pequenas alterações no texto original.

O novo texto repete quase todo o conteúdo sugerido pelo substitutivo nº 1, proposto pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Determina que, nos contratos de concessão de serviços públicos envolvendo rodovias estaduais privatizadas, constará dispositivo sobre a obrigatoriedade de a concessionária receber o pagamento de pedágio por meio de cartão de débito ou de crédito, de todas as bandeiras existentes no País.

Mantém o comando do texto original de que serão instaladas placas de sinalização indicativas dessa possibilidade a 700 metros da praça do pedágio, para orientação dos usuários das rodovias.

Também preserva a determinação de que a concessionária poderá disponibilizar guichês específicos para o pagamento com cartão, mas acrescenta que não podem ser menos do que a metade dos já disponíveis. Tanto o texto original quanto o apresentado pela CCJ não previam essa quantidade.

O substitutivo reafirma que a medida se aplica aos novos contratos, celebrados a partir a data de publicação da futura lei, e preserva a exclusão de comando que previa que a obrigação constará dos editais de licitação de delegação do serviço de administração ou exploração de rodovia estadual.

O projeto será avaliado, agora, pela Comissão de Administração Pública.

© 2009-2020. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.